A Rede Globo de Televisão está exibindo em seu horário nobre a novela 'O Outro Lado do Paraíso'. O folhetim tem marcado audiência recorde nas últimas semanas e impressionado quem acompanha a obra. Nessa semana, por exemplo, o folhetim chegou a marcar mais de 40 pontos de audiência na grande São Paulo. No entanto, uma grande bomba pode atingir o folhetim de uma das mais poderosas emissoras do país. Tudo porque o Ministério da Justiça não tem gostado de algumas sequências que estão sendo exibidas e pediu a reclassificação do conteúdo.

Publicidade

Ministério da Justiça muda classificação de 'Outro Lado' e Globo passa apuros

O Ministério da Justiça não tem gostado do que acontece com o folhetim da Rede Globo de Televisão. O órgão não está gostando do número de imagens fortes e o que acontece nas cenas tem dado o que falar. A obra de Walcyr Carrasco é considerada muito pesada. Já foram exibidas cenas de estupro, violência e muitas sequências que provocam discussões sérias. O órgão, inclusive, publicou uma decisão no Diário Oficial da União falando sobre a obra e decidiu reclassificar o folhetim. O enredo, até então, era proibido para crianças menores de dez anos. No entanto, para o órgão, isso era incompatível com o que a emissora mostra.

Globo passa apuros e novela corre risco

Como a Globo não fez mudanças sugeridas, a obra não pode exibir algumas sequências mais cedo. Pelo contrário, teria persistido na ideia de continuar a mostrar as cenas polêmicas. O órgão diz que ao assistir às cenas percebeu que boa parte do conteúdo era violento demais e fora do contexto para a faixa etária em que o produto dramatúrgico é exibido. O canal carioca já havia sido notificado a fazer as alterações e até disse que faria as mudanças, mas isso acabou não acontecendo. Com isso, o próprio órgão decidiu dar uma nova classificação à trama.

Publicidade

Decisão faz novela da Globo correr sério perigo; entenda

"Indeferir o pedido de autoclassificação da obra ‘O OUTRO LADO DO PARAÍSO’ e classificá-la como ‘não recomendado para menores de catorze anos’ por conter violência, conteúdo sexual e drogas lícitas", diz parte do texto publicado pelo Ministério da Justiça. Essa mudança é importante porque a obra não pode ser exibida em alguns horários, complicando a sua divulgação e até exibição mais cedo. Isso complica especialmente a exibição da obra nas quartas-feiras, quando os capítulos começam mais cedo devido ao futebol.