Após ganhar o papel de Dante na nova minissérie da Rede Globo, ‘Ilha de Ferro’, Cauã Reymond mostrou-se muito apaixonado pelo novo personagem e acabou provocando um grande mal-estar na emissora carioca, principalmente por estar se dedicando demasiado a este trabalho.

O grande problema se encontra no fato de que Cauã é muito requisitado nos trabalhos a serem realizados na Rede Globo. A frequência com que o ator Cauã Reymond é convidado para executar os trabalhos é de aproximadamente nove a cada dez projetos elaborados pelos autores globais, por ser um ator de grande relevância e grande impacto perante o público, além do super talento para atuar.

Porém, com essa proposta de trabalho, o ator mergulhou de cabeça, por ser algo novo e diferenciado em sua vida, ambientado em uma plataforma de petróleo e também por ter o privilégio de trabalhar pela primeira vez com o cineasta Afonso Poyart.

Cauã gera climão ao dizer ‘não’ para os autores mais importantes da Rede Globo

Assim decidido, o ator resolveu dizer ‘não’ aos outros trabalhos que foram surgindo no meio do caminho, até mesmo para os mais importantes autores globais e isso gerou certo desconforto nos departamentos da emissora, que acreditam que não se diz ‘não’ para trabalho.

‘Ilha de Ferro’ teve as suas gravações iniciadas há poucos dias, e se estenderão até o fim do mês de abril de 2018.

A minissérie faz parte de um novo projeto da Rede Globo, que foi produzido para um serviço, chamado de ‘streaming’, algo relacionado com o Netflix, sendo comumente chamado de Globoflix, que terá o lançamento em breve, tendo como diretor o ilustre João Mesquita.

Conheça mais sobre a minissérie Ilha de ferro

A minissérie promete muita audiência, por se tratar de uma trama que envolve petroleiros da PLT-137, plataforma fictícia de exploração de petróleo, e trará muitas emoções ao lidar com o ego, os hormônios, o nervosismo e as paixões dos personagens.

A produção promete trazer muita ação para o público, além de drama, aventura e romance, a trama também vai lidar com a vida de pessoas contratadas para viver em um confinamento de 15 em 15 dias, que compartilham um estilo de vida em comum e uma forma de lidar com a rotina e com os problemas familiares, que podem ser muito diferentes.

A aposta global promete prender os telespectadores a cada capítulo, envolvendo-os de forma a se sentirem conectados com a vida dos protagonistas da minissérie.

Gostou do nosso artigo? Então marque os amigos nas redes sociais e siga o nosso trabalho. Obrigado.

Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!