Não é nenhuma novidade que muitos fãs de Dragon Ball não gostam da outra versão, escrita por Morishita, conhecida como Dragon Ball GT. Ela não foi baseada na série de mangá original, feita por Akira Toriyama. Isso fez com que muitos dividissem opiniões, no Japão e no mundo. Kozo Morishita deu entrevista sobre o lançamento do Dragon Box 2005 no Japão e ao ser questionado sobre a reação negativa de alguns fãs ele se mostrou surpreso, dizendo que acreditava que a maioria das pessoas haviam gostado da versão, pois ninguém gosta quando uma série acaba, desejando que ela tenha continuação.

Publicidade

Ao que tudo indica os fãs realmente adoram continuações, principalmente de um anime tão querido mundialmente quanto Dragon Ball. O que eles não gostaram foi o fato da história ter fugido de suas raízes, mas apenas baseada no enredo de Toriyama. Para eles isso é uma deturpação, sendo inaceitável, não considerando-a canônica na série Dragon Ball.

O criador de Dragon Ball GT rebateu essas críticas dizendo que, embora muitos não tenham gostado, a sua versão conquistou milhares de novos fãs, que não assistiam as séries originais, e ainda ganhou simpatia de muitos fãs da versão de Akira, que gostam tanto do anime feito a partir da história original do mangá quanto da versão de Morishita.

Para ele a versão GT fez a franquia progredir, indo muito mais longe que o mangá.

Houve fãs que questionaram Morishita dizendo "Porque você arruinou os originais?". Outros ainda disseram que as partes "arruinadas" que fazem a versão GT tão interessante. O criador rebateu novamente as críticas, dizendo que sua versão apenas afastou alguns fãs do mangá, mas que Goku continua conquistando corações de novas gerações e que quem assiste o episódio final de Dragon Ball GT acaba amolecendo o coração, e se tornando fã como os outros.

Publicidade

Em suma, o que ele quiser foi o seguinte. A série de mangá de Dragon Ball teve início em 1984, e de lá para cá os apaixonados, que antes eram crianças, agora são adultos e se tornaram especialistas e críticos, pois conhecem muito bem toda a trajetória da drama mundialmente conhecida. Esses possuem mais dificuldade em aceitar mudanças e coisas novas.

Sendo assim a versão de Morishita se destina a gerações mais novas, que hoje tem entre 6 e 11 anos de idade, e que não conhecem as raízes da franquia, e por isso são seduzidas pela nova versão.

Ele terminou a entrevista com a promessa de conquistar os fãs mais antigos, convidando-os a dar uma chance a série e vendo até o final, pois com certeza irão gostar tanto quanto a versão de Akira.