O Brasil sem dúvida é um país cheio de polêmicas. Recentemente, o País inteiro se virou contra uma socialite que fez ataques racistas contra a filha de um dos artistas mais conhecidos no país. A pequena Titi Gagliasso, filha do ator Bruno Gagliasso com a atriz Giovanna Ewbank, foi alvo de ataques racistas praticados por Day McCarthy, uma socialite que vive no Canadá. A mulher causou o maior alvoroço, e a questão levantou um debate contra o preconceito racial.

No entanto, Day McCarthy não foi a única socialite a causar rebuliço nas redes sociais ao fazer declarações polêmicas.

No último domingo (3), morreu a socialite Carmen Mayrink Veiga. Ela tinha 88 anos e era considerada um dos ícones de grande elegância e requinte da alta sociedade. Carmem ganhou notoriedade no mundo da moda, estando na lista das mulheres que mais se vestiam bem. Além disso, a socialite foi retratada por vários artistas conhecidos mundialmente. Entre eles se encontram Di Cavalcanti e Cândido Portinari.

Carmen Mayrink também teve um casamento de sucesso. Ela se casou com o empresário Tony Mayrink.

O casal viveu junto por mais de 60 anos. Infelizmente, o empresário faleceu no ano passado. Juntos, eles tiveram dois filhos e cinco netinhos.

A socialite era natural da cidade de Pirajuí, localizada no interior do estado de São Paulo. Carmen era de uma família tradicional da região sudeste do Brasil. A mãe da socialite tinha título de nobreza, era filha do Barão de Arari. Já o seu pai foi cônsul honorário de um reino da Itália.

Mas a família tão nobre passou por momentos de grande dificuldade. Eles tiveram uma grave crise financeira que culminou na perda de toda a fortuna da família.

No início da década de 90, com esse cenário de dificuldade, a socialite precisou arregaçar as mangas e começou a trabalhar. Claro que com tanto conhecimento, requinte e elegância, a socialite encontrou o trabalho certo. Carmen começou a ser professora de etiqueta e moda.

No ano de 1997, ela se aventurou pelo ramo da literatura e foi autora do livro ABC de Carmen. O tema do livro não poderia ser outro, ela abordou o assunto que mais dominava e escreveu sobre regras de etiqueta e estilo.

Amigos da socialite usaram seus perfis nas redes sociais para se manifestar sobre a morte de Carmen e muitos prestaram a última homenagem a amiga.

Polêmica de Carmen Mayrink

Apesar da elegância da socialite, ela não ficou livre de polêmicas durante sua trajetória de vida. Uma de suas frases causou revolta no País. Ela disse que pobre não poderia ser elegante. Carmen ainda afirmou que não tinha nada mais brega do que precisar entrar em fila para conseguir comprar uma bolsa de grife.

Em um país onde a maioria da população sobrevive em condições financeiras mais precárias, as afirmações da socialite caíram como uma bomba, gerando grande polêmica à época.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!