O genro de Silvio Santos, Edu Pedroso, acabou sendo preso nesta terça-feira (5), após ter sua prisão decretada por causa da pensão alimentícia de sua filha. Sophie, de 5 anos de idade, é fruto de seu antigo relacionamento, e mora em Santa Catarina com a mãe.

Publicidade
Publicidade

O rapaz está ao lado de Silvia Abravanel desde o ano de 2013, e responde ao processo há cerca de 4 anos e meio. Ele se nega a visitar a própria filha e não mantém contato com a criança por opção própria, além disso, sua relação com a mãe da criança não é das melhores.

Cantor foi solto uma hora depois de ser detido

Aproximadamente uma hora depois que foi detido, Edu acabou sendo liberado sem pagar fiança. A advogada de Ana Cristina, mãe de Sophie, disse que sua cliente estava há mais de 5 meses sem receber a pensão do rapaz.

Silvia Abravanel e Edu Pedroso (Foto: Reprodução)
Silvia Abravanel e Edu Pedroso (Foto: Reprodução)

O advogado do cantor, João José da Fonseca, deu entrada no habeas corpus ainda no início da noite conseguindo assim liberar seu cliente. O pedido de prisão havia sido feito pelo juiz Adilor Danieli, da Vara de Família, Órfãos e Sucessões de Balneário Camboriú. O cantor está devendo cerca de 11 meses da pensão da filha e teve sua prisão decretada em 24 de outubro e desde então já sabia que poderia ser preso a qualquer momento. O processo segue em segredo de Justiça.

Publicidade

Mandado de prisão é revogado

Segundo informações passadas pelo site 'Extra', o marido de Silvia Abravanel teve o pedido de prisão revogado nessa terça-feira. Ele, que responde a um processo pro causa da pensão da filha, teve uma decisão favorável da desembargadora Maria do Rocio Santa Rita, que revogou o pedido de prisão até que o juiz julgue o processo. A principal alegação utilizada pelo rapaz é que ele não estaria trabalhando como cantor e por causa disso seu rendimento mensal diminuiu consideravelmente.

Atualmente, o genro de Silvio estaria trabalhando como auxiliar administrativo em um escritório de marketing, sendo que seu salário gira em torno de R$ 2.500 mensais. Um documento comprova esses valores. O rapaz que é casado com Silvia pelo regime de separação total de bens, não tem direito a nenhuma quantia dela e vice-versa. O valor que ele poderia pagar atualmente seria os R$ 750 já depositados em meses restantes.

Vale lembrar que Edu já havia tentado diminuir o valor da pensão perante a justiça, mas acabou não tendo sucesso. Parece que dessa vez ele ficará solto até que o processo termine e seja finalmente julgado pelo juiz.

Deixe seu comentário sobre o caso.

Publicidade

Leia tudo