Publicidade
Publicidade

O final de ano não começou de forma agradável para um dos maiores jornalistas da emissora carioca, a Rede Globo de Televisão. O ex âncora de um dos principais jornais da emissora, William Waack, teve seu contrato rescindido com a emissora após proferir comentários racistas durante o telejornal que apresentava todas as noites na televisão aberta.

A emissora, por meio de uma nota, assinalou que tanto William Waack como o diretor de jornalismo da Globo, Ali Kamel, disseram que a melhor saída foi o encerramento do contrato que a empresa mantinha com o jornalista.

Publicidade

O desligamento foi consensual e sem necessidade de medidas judiciais trabalhistas.

Na nota, o ex contratado da Rede Globo de Televisão diz que o vídeo que começou a circular nas redes sociais no dia oito de novembro não teve em nenhum momento a intenção de fazer cunho racista em sua fala. Waack afirmou que nunca proferiu nem teve a intenção de ofender ninguém e que em sua vida jamais compactuou ou compactuará com ideis racistas ou de discriminação. Afirmou ao final que luta e sempre lutou por uma sociedade mais justa e que respeita as diferenças entre as pessoas.

Entenda o caso que motivou a demissão de William Waack da Globo

Tudo começou com um vídeo que começou a circular na internet no mês de novembro do ano corrente. O vídeo foi gravado originalmente no ano de 2016, mas só 'caiu na rede' neste ano. Na gravação, Waack está em Washington, capital dos Estados Unidos da América, dentro de um estúdio que tem ao fundo uma parede de vidro com visão para a rua. No meio do vídeo, uma pessoa buzina com o carro na parte externa do estúdio e William Waack se irrita.

Publicidade

Em um primeiro momento ele diz, "Tá buzinando por que, seu merda do cacete?", logo após ele faz menção em saber quem se trata o cidadão que está buzinando e atrapalhando sua gravação jornalística. Nesse momento então, William Waack se vira para o convidado que está no estúdio com ele e diz que isso só pode ser coisa de preto, deixando claro um tom pejorativo e de racismo em sua frase.

No dia seguinte à divulgação do vídeo, a hashtag #williamwaack foi a segunda em maior alcance nos usuários do Twitter no Brasil.

Imediatamente a emissora Globo tratou de afastar Waack da banca do do jornal da Globo, onde o mesmo era âncora.

Responsáveis pela divulgação do vídeo são descobertos

Um ex-operador de TV da emissora e um designer gráfico disseram ter sido os responsáveis pelo vazamento do vídeo em questão. Ambos são negros e sentiram-se profundamente ofendidos com o comentário de Waack.