Nicki Minaj é quase tão famosa por seus incontáveis sucessos na Música quanto também por suas polêmicas. Seja por um decote mais profundo, ou por uma fala mais agressiva, a verdade é que a rapper não sai dos holofotes. Dessa vez, ela abriu grande polêmica junto de seus fãs, dizendo que "2017 foi um ótimo ano para se ser rapper branco na América".

Mas, será que foi racista seu comentário? Ou apenas uma provocação? Certo é que as reações não tardaram e a rapper está novamente no centro de uma grande polêmica.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Famosos

Nicki Minaj, de 35 anos, fez uma observação em que relacionou raça e música, e acabou irritando muitos dos seus fãs.

A cantora falava como comentário de uma lista das dez melhores músicas rap no iTunes, em que a porcentagem mais elevada era de rappers brancos, algo bem inédito, quando comparado com o passado.

"É um ótimo momento para ser um rapper branco na América, hein, comentou a beldade em uma publicação, que, entretanto, ela eliminou do Instagram.”

A imagem do top 10 dos melhores raps de 2017 incluía os nomes de Eminem, Post Malone, G-Eazy, NF, Macklemore, Post Malone (novamente) e Machine Gun Kelly e todos eles têm em comum o fato de serem caucasianos. Depois, o top tinha somente espaço para três raps negros, que foram cantados por Lil Pump, NERD & Rihanna, e a música de Nicki com Migos e Cardi B.

Foi precisamente essa a observação de Nicki, estranhando que sete das dez melhores músicas [VIDEO]do iTunes Rap foram para pessoas brancas, mas ela é vista elogiando Eminem, por seu regresso, e também Post Malone, o que também não teria agradado alguns fãs.

Enquanto alguns deles criticaram Nicki por ela "destacar" os artistas brancos, outros preferiram apoiar a decisão de Nicki de chamar a atenção para uma "presença branca desproporcional", no que eles consideram uma forma de arte historicamente negra.

Em última análise, o tema ganhou demasiado destaque, e desagradou Nicki, que preferiu apagar sua publicação.

Após apagar, ela fez uma última observação, dizendo que iria bloquear todos os ‘’caras sensíveis’’, dizendo que quem não gosta dela, que não precisa ir para sua página fazer comentários de ódio contra ela.

Nicki, então, provou que o que disse não era nada novo, notando que os artistas brancos que atuam em formas de arte de negros recebem aparentemente uma atenção desproporcional. Ela até colocou uma entrevista de J. Cole, de 2014, em que ele falava que toda a página do iTunes Jazz tem "99,7% de pessoas brancas", apesar de o ritmo ser uma forma de música negra em suas origens. No entanto, J. Cole dizia que isso não era ruim, uma vez que qualquer pessoa pode fazer a música que quiser.

A rapper Nicki Minaj parece agora concordar com isso e disse mesmo que sempre que uma mulher negra fala sobre qualquer tema, ela é rotulada como "louca", "com inveja'' ou "amarga". No entanto, a cantora discorda completamente disse, dizendo que tem quatro músicas no Billboard Hot 100.

"Eu sou abençoada e altamente agradecida aos meus incríveis fãs. Mas eu vou sempre falar o que eu quiser. Eu adoro ser uma mulher inteligente e bem-sucedida", afirmou a beldade.