Alguns casos criminais acabam ganhando grande repercussão no país. [VIDEO]Fofocas nos bastidores de televisão também têm grande repercussão. Recentemente, o nome do apresentador Rodrigo Faro entrou em uma polêmica daquelas. Ele contou uma linda história de superação em seu programa, o 'Hora do Faro', mas a história teve uma grande reviravolta. O programa do apresentador mostrou o que ocorreu com a pequena Rivânia, [VIDEO]que ficou famosa em todo o território nacional, após tentar salvar livros de uma enchente. Fotos dela agarrada ao material repercutiram e a Record TV decidiu ajudar a criança. O problema é que nem tudo foi tão positivo quanto se esperava.

Record revela que casa dada à Rivânia segue projeto aprovado por família da menina

A chuva que atingiu a região onde Rivânia e sua família moravam levou a casa da menina. A Record então prometeu dar uma nova residência à garota. Todo o projeto deveria custar cerca de R$ 120 mil, da compra do terreno à construção do imóvel. A emissora contratou uma empreiteira para fazer a obra. Após mais de seis meses do momento em que a Record exibiu a matéria, a garota e sua família ainda continuam sem ter onde morar. Isso fez com que as reclamações começassem. Além disso, a casa que Faro construiu para a família da menina foi chamada de feia e em um local distante de tudo, que supostamente não seria tão seguro.

Emissora contra-ataca família de Rivânia após reclamações sobre 'casa feia'

O projeto do programa de Faro se difere do de outras emissoras, como do 'Caldeirão do Huck', que costumam arrumar uma casa em até duas semanas.

A ideia era construir a partir do zero e com menos orçamento, o que explica a mudança. A avó da criança, que a cria, contou ainda que o número de cômodos do local é menor do que o do projeto e que a produção colocou o seu ateliê de costura junto à cozinha. Essa seria a única forma da família arrecadar renda e a divisão dos cômodos, segundo Dona Ivone, causaria sérios prejuízos.

Dona Ivone ainda deu detalhes a respeito de tudo o que aconteceu, como reclamando da telha escolhida pela empreiteira, que, segundo ela, seria da pior qualidade. “Eu me preocupo porque a casa foi construída numa região afastada, sem segurança. Cobriram com telha e me disseram que teria forro, mas eu não estou vendo (o forro) lá”, disse a avó de Rivânia, Maria Ivone. A Record rebateu a idosa e diz que tem vídeos gravados para comprovar que ela aprovou tudo exatamente da forma que está. Além disso, o canal diz que o prazo da obra se encerra no final de janeiro.