O Big Brother Brasil 2018 [VIDEO] começou com tudo. O reality show mais assistido no Brasil já está alcançando marcas expressivas de audiência por conta da família que está desde segunda-feira confinada na casa .Essa foi a novidade do programa da Rede Globo para esta edição, colocar na casa integrantes de uma mesma família para disputarem entre si a popularidade e aceitação do público da atração.

Porém, as atitudes da família Lima têm gerado muita polêmica [VIDEO] e insatisfação, questionamentos são levantados sobre a integridade dessa família. Com toda a repercussão negativa em volta do selinho do pai na filha, e as pegações estranhas de tio e sobrinho, nesta quarta-feira (24) a família foi chamada pela produção de Boninho, diretor do BBB, para uma conversa no quarto reservado para eles.

Neste momento, o som e as imagens das câmeras foram cortados, deixando os telespectadores ainda mais revoltados e curiosos para saber o que estava sendo contado a eles sobre a má repercussão. Quando o som e as imagens das câmeras voltaram a funcionar, o público se revoltou ainda mais [VIDEO] ao ver que eles e, principalmente a matriarca da família, não se incomodavam com a situação entre pai e filha.

Assim que o som voltou à normalidade, deu para perceber que os integrantes da família estavam preocupados com a revelação feita sobre a reação negativa do público sobre a convivência familiar. Os comentários sobre o assunto não deixaram dúvidas de qual teria sido o principal assunto da reunião com a produção BBB.

Revolta fora e dentro da casa: Boninho conta o que acontece aqui fora e família fica arrependida

Após saberem sobre a repercussão negativa na web, a família aparece desesperada com a imagem que está passando.

Ana Clara sai em defesa da situação e diz que não vê nada de mais na maneira como tem intimidade com o pai.

Outra pessoa que se manifestou a respeito do assunto foi um sobrinho de Ayrton, publicando em sua rede social que isso é um costume familiar e que se sentiu muito triste por ver a imagem de sua família ser totalmente desconstruída da pior forma possível. Ele relatou ainda que beijar na boca é um cumprimento normal adotado por todos da família.

O rapaz, que tem 36 anos, acrescenta dizendo que sempre foi assim que saudou a mãe, tias e avó, beijando-as na boca, não acreditando que isso tenha sido de forma alguma assédio por parte de seus familiares.

Ayrton não faz ideia de que seu irmão faleceu no último domingo (21), pois já estava confinado. Este foi também um dos motivos do desabafo de seu sobrinho, que adoraria poder receber mais um beijo selinho do pai.