Os mais críticos costumam se perguntar por que um programa como “Big Brother Brasil” [VIDEO] está há tanto tempo no ar sem que a emissora que o exibe, a Rede Globo, pense em tirá-lo definitivamente da programação depois de 17 edições. O “BBB” estreou em 2012, com apresentação de Pedro Bial e Marisa Orth. Sim, a eterna Magda do “Sai de Baixo” dividia o comando do reality com o jornalista que comandava o “Fantástico”.

De lá para cá, muita coisa mudou, muitas brigas aconteceram, muitas polêmicas foram criadas, por vezes o reality show virou caso de polícia, a audiência caiu e já não é mais a mesma de antes, mas uma coisa não mudou: o dinheiro que a Globo ganha com o “Big Brother Brasil”.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal BBB Big Brother Brasil

Faturamento

A 18ª edição do reality show só estreia no dia 22 de janeiro, mas já deu ótimos motivos para a direção da emissora sorrir: o Faturamento. As seis cotas de patrocínio master do programa foram vendidas.

Cada uma delas foi negociada por um valor de R$ 34,7 milhões [VIDEO]. As empresas que compraram as cotas são Nestlé, supermercado Walmart, a empresa de pagamento eletrônicos PagSeguro, Brasil Foods, Ambev e Cervejaria Petrópolis.

Ou seja, antes mesmo de o programa ir ao ar a emissora já faturou incríveis R$ 208,2 milhões. Até o final da atração, marcada para o dia 19 de abril, a Globo pode ganhar ainda mais com as ações de merchandising. Na edição de 2010, por exemplo, cada ação custava aproximadamente R$ 700 mil. Este valor deve estar maior neste ano. Essas ações são as provas patrocinadas por determinadas empresas.

Audiência

Embora o poder financeiro continue em alta, rendendo ótimo retorno à Globo, a audiência do “BBB” caiu bastante. Levando em conta apenas a final, a primeira edição, em 2002, registrou média de 57,4 pontos.

Na segunda edição, que também foi disputada em 2002, os números caíram para 44,5 pontos.

Até o “BBB 10”, a audiência ficou acima dos 40 pontos nas finais – índices considerados excelentes pela Rede Globo. Nas últimas edições, porém, a audiência caiu. Em 2014, o “BBB” alcançou apenas 23,7 pontos de média, a menor de uma final na história de uma edição do reality show.

Na última edição, a vitória de Emilly Araújo rendeu 29,1 pontos de média para a Globo. O dia de maior audiência aconteceu na segunda-feira anterior à final, quando Marcos Harter foi expulso do reality e a emissora marcou 34,1 pontos.

Ou seja, polêmicas rendem mais do que a final. Sabendo disso, a Globo pode ter escolhido a dedo os participantes deste ano.