O estado da Bahia é hoje, sem dúvida, a capital do Carnaval. Não por menos, a terra dos dinossauros Gilberto Gil, Gal Costa e Caetano Veloso já projetou para o cenário nacional, artistas como Ivete Sangalo, Netinho, Claudia Leitte, Alinne Rosa, Xandy e tantos outros de grandes histórias em bandas ou carreiras solo.

Antônio Carlos Santos de Freitas, o talentoso Carlinhos Brown, é um deles. O nome artístico vem de uma homenagem ao grande cantor norte-americano James Brown. Cantor, compositor, percussionista, arranjador, artista plástico e alguns dotes a mais, Carlinhos Brown anunciou sua aposentadoria do badalado Carnaval de rua da Bahia, para 2019.

São anos e anos à frente de trios elétricos arrastando milhares de pessoas todos os anos. Com alegria e energia para dar e vender, sempre foi um dos abadás mais disputados pelos foliões. Seja sozinho, em parceria com algum outro artista, ou até mesmo em pequena participação em alguma banda, por onde passa, Carlinhos Brown recebe sempre o carinho de seus fãs.

O criador da banda Timbalada disse em entrevista, pouco antes de subir ao palco no terceiro dia do Festival Virada Salvador 2017, que vai se dedicar como produtor: “Quero ser um produtor revolucionário, são 40 carnavais, acho que já colaborei o bastante. Carnaval não é brincadeira, e eu quero envelhecer bem.” O artista porém deixou claro que poderá participar de outras formas, como apresentações particulares ou em outras cidades.

Pai de seis filhos, Brown é uma pessoa supercarismática, que contagia as gravações do The Voice Brasil, programa da Rede Globo de Televisão [VIDEO], desde 2012, onde é um dos técnicos mais cotados pelos participantes.

Indicado várias vezes ao Grammy Latino, Carlinhos sempre teve seus sucessos entre as mais tocadas nas rádios brasileiras. Quem não se lembra do eterno ritmo de verão “A Namorada, Tem Namorada”, ou a que gravou no projeto Os Tribalistas, com Arnaldo Antunes e Marisa Monte, a mega música “Já Sei Namorar”. Em 2012, concorreu ao Oscar de melhor canção original com a música ‘’Real in Rio’’, parceria com Sergio Mendes, da animação "Rio".

A ideia do astro [VIDEO] baiano, que já colocou no mercado do ritmo de axé, mais de 20 mil músicos, é de dar continuidade nos bastidores na produção de novos talentos e letras, como "Dandalunda", interpretada por Margareth Menezes, "Rapunzel", que foi gravada por Daniela Mercury, e "Cadê Dalila", dada de presente a Ivete Sangalo.