Anúncio
Anúncio

Na noite da última terça-feira, 16, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez ataques gratuitos ao juiz Sérgio Moro, de Curitiba, ao presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores e a outras pessoas que estão à frente da Operação Lava Jato – sobrou até mesmo para a imprensa livre brasileira. O petista contou que, caso seja eleito, nas eleições de 2018, ele vai censurar os veículos de comunicação através do que ele chamou de “regulação da mídia”, da mesma forma que ocorreu na gestão do presidente Maduro, da Venezuela e, em outra medita, exonerará o juiz Sérgio Moro e os ‘cabeças’ que fazem as engrenagens da Lava Jato girarem.

“Pessoas que se comportam como delegados.

Anúncio

Digo no meu caso, o Ministério Público se comportar como se comportou no meu caso, e um juiz se comportar como o comportamento do Moro, eles precisariam ser exonerados”, disse o petista, no Teatro Oi Casa Grande, localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Antes, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), também teve um comportamento similar ao de Lula, quando também defendeu que Moro seja exonerado, caso o petista vença as eleições desse ano.

Vale lembrar que para tentar fazer exonerações de pessoas que ocupam cargos públicos, Lula precisa primeiro passar ileso no TRF4, nesse próximo dia 24 janeiro.

Pois, caso seja condenado, como em Curitiba, por Sérgio Moro, o petista fica impossibilitado de concorrer à presidência da República. Mas caso consiga passar ileso, o ex-presidente vai ter que vencer as críticas e o avanço dos opositores, que crescem a largos passos nas pesquisas, como é o caso do deputado Jair Bolsonaro (PSC).

Lula critica desembargador que vai o petista, “bisneto do general Thompson Flores’

O ex-presidente criticou o desembargador que acompanha o caso do petista na segunda instância.

Anúncio

Lula diz que achou estranho que ele, (Carlos Eduardo Thompson Flores), chegou a ler milhares de páginas, do seu caso, em apenas um dia. “Mas, como tem leitura dinâmica, pode ser”, disse o ex-presidente. Em sua fala, Lula disse que respeita as posições dos juízes de Porto Alegre, até mesmo porque não conhece boa parte deles, no entanto, o desembargador em questão, de acordo com o petista, ele sabe que é bisneto de um general, já morto – Thompson Flores.

Esse mesmo general invadiu Canudos e, segundo Lula, matou Antônio Conselheiro.

“Quem sabe esteja me vendo como cidadão de Canudos”, criticou Lula.