Apesar de estar passando as férias de fim e começo de ano em Cancún, no México, as informações que saem daqui do Brasil para Emilly Araújo, que está acompanhada de sua irmã Mayla e do seu affair, Jota Amâncio, não são muito boas. A gêmea acabou sabendo que a rede Globo não demonstrou interesse em contrata-la, mas sim, contratou a sua principal rival do Big Brother Brasil 2017, a vice-campeã Vivian Amorim. O fato pegou de surpresa muitos dos fãs da gaúcha e até mesmo quem gosta e acompanha os assuntos envolvendo os ex-participantes de reality show. Para completar, quando viu a coisa ‘preta’, Emilly já decidiu que vai vender camisas para pagar as contas e o aluguel no Rio de Janeiro. [VIDEO]

A Globo decidiu contratar a manauara, ao lado de Fernanda, que foi a vencedora do BBB 13, para assumirem o lugar do repórter Rafael Cortez no BBB 18.

De acordo com informações, o rapaz não agradou muito os fãs do programa. Segundo Keila Jimenez, as duas ex-BBBs são pessoas de índoles limpas, [VIDEO] que nunca foram vistas envolvidas em barracos, como muitas vezes a própria Emilly já se envolveu, principalmente com relação ao seu último namorado, Marcos Harter. Amorim e Fernanda, por curiosidade, são advogadas e também possuem milhões de seguidores [VIDEO] em suas redes sociais, fato esse que também chamou a atenção da direção do BBB 18.

Emilly venceu o BBB 17, mas é muito rejeitada

Apesar de ser a grande campeã do reality show da Globo em 2017, atualmente Emilly Araújo tem sido muito rejeitada nas redes sociais. Também pelo fato de que ela não soube investir o prêmio milionário que conquistou e, além do mais, não conseguiu encontrar um trabalho no mundo das celebridades que desse para sustentar à ela e a família, na cara Rio de Janeiro.

Dessa forma, a gêmea já organizou venda de camisetas para tentar arrecadar dinheiro e conseguir pagar o aluguel do apartamento onde mora.

Já Vivian, apesar de não ter vencido o programa da Globo, consegue arrecadar de 5 a 10 mil reais de cachê por cada publicidade que faz para empresas.

Emilly e sua venda de camisas

A gaúcha já disse que vai abrir um canal no Youtube. Ciente de que não será contratada pela Globo, ela também passou a vender camisas. O ‘problema’ é que o valor das camisetas chega a assustar os seus seguidores. A unidade custa em média R$ 149.

Ela deu o nome para a sua venda de “EM Shop” e disse que é um sonho que se realiza, vender essas camisetas. “Eu sempre tive vontade de usar camisas diferentes, com trocadilhos, coisas sutilmente referentes a esportes”, disse a gêmea.