A próxima Malhação começará a ser gravada já na próxima semana. A novela escrita por Patrícia Moretzsohn, e dirigida por Natália Grimberg, contará com uma novidade: 17 novos atores serão contratados para fazer parte da próxima trama.

A nova trama aposta em um formato que trouxe sucesso ao público do Canadá, sendo indicada desde então quatro vezes ao Emmy Internacional. Uma diferença marcante que poderá ser notada para a nova Malhação serão histórias curtas de até duas semanas, para que o enredo não fique cansativo para o telespectador.

Publicidade

Camila Morgado, que interpretará a professora Gabriela, mentora dos alunos, é a principal protagonista dentro das diferentes histórias que serão apresentadas. Além de Camila, a nova Malhação contará com Ana Beatriz Nogueira, Luiz Gustavo e Guta Stresser.

Malhação precisa ser reinventada

Ao longo dos anos, a novela Malhação deixou de despertar o interesse de boa parte do público. Uma das causas diz respeito aos atores que não conseguiram agradar com seus personagens, o que resultou na queda da audiência por temas mal elaborados.

Com o novo formato, a novela promete dar mais emoção ao telespectador, prendendo do início ao fim de todas as cutas histórias.

A possibilidade de capítulos curtos pode atrair novamente a faixa etária que a novela deseja. Uma trama que foi feita especialmente para os adolescentes, acabou se distanciando da proposta inicial. A sintonia dos atores ao passar emoção era praticamente nula. Os temas abordados também não eram alinhados ao que os jovens de hoje em dia se identificam. Esse fator acabou reforçando o distanciamento.

Publicidade

Características Perdidas

As últimas temporadas de Malhação não agradaram tampouco aos adolescentes, como o público em geral. A mudança dos temas propostos em cada temporada e o carisma deixaram a novela com ibopes baixíssimos, provocando saudades da última trama que estourou em 2012, com Rodrigo Simas e Juliana Paiva.

Os personagens não representaram a essência da novela que esteve no auge nos finais de tarde. Os temas como bullying, racismo, e questões de gênero foi uma tentativa para os dias atuais, mas a forma que os papéis foram desempenhados não agradou ao público.

Os personagens que marcaram época como Cabeção (Sérgio Hondjakoff), Maumau (Cauã Reymond), nas edições de 2002/2003, e Gustavo (Guilherme Berenguer) e Letícia (Juliana Didone) na temporada 2004/2005, eternizaram gerações pela espontaneidade em suas cenas, não ficando presos a um papel que era atribuído a eles.