O TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade), é uma síndrome (conjunto de sintomas) caracterizada de pessoas que são muito distraídas, pessoas que tem uma hiperatividade grande, por ser impulsivas demais, por serem esquecidas, desorganizadas, adiam cronicamente, entre outras coisas. Todas as pessoas, tanto as crianças como os adultos, podem apresentar estas características em pelo menos em alguma situação do seu cotidiano. O que pode ser normal.

Publicidade
Publicidade

Porém, quando há muitas queixas e os problemas causados são frequentes, pode ser o TDAH,

Segundo informações da revista Fórum, o músico e membro da banda Detonautas, Tico Santa Cruz, que se engaja numa posição política mais progressista, denunciou o caso nesta quarta-feira (3) em sua página no Facebook. Ele disse que tentou matricular a sua filha chamada Bárbara, que foi diagnosticada com TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade), numa Escola chamada Carolina Patrício, onde mora, Rio de Janeiro.

Tico Santa Cruz denuncia a descriminação que sua filha sofreu em uma escola do RJ (crédito:internet)
Tico Santa Cruz denuncia a descriminação que sua filha sofreu em uma escola do RJ (crédito:internet)

Mas a escola não aceitou a garota, muito embora, se dizem uma escola inclusiva.

Em sua postagem o músico diz, que a escola Carolina Patrício é muito famosa no Rio de Janeiro, que dizem ser uma instituição inclusiva, mas pergunta se realmente seria uma escola inclusiva. Explica que a filha teve que voltar a escola brasileira por ser diagnosticada pela síndrome, depois de um ano e meio, estudando em uma instituição internacional. Então, ele e sua família, visitou a unidade dessa escola no Novo Leblon (RJ), onde foram conhecer como funcionava e as instalações da escola e fazer a verificação da viabilidade da matricula da menina.

Publicidade

Tico continua, em seu post, que a coordenadora do departamento do Fundamental 1, os atendeu muito gentilmente. Então, explicaram (ele e sua esposa) o histórico da sua filha, Bárbara, e a coordenadora disse que aplicaria uma prova de admissão. Assim, fizeram todos os procedimentos como qualquer pessoa sempre fez. Contudo, depois da visita e depois da avaliação da garota, foram avisados que as vagas tinham acabado, para o quarto ano letivo, e que eles não poderiam fazer o atendimento de uma menina com TDAH em nenhuma das suas unidades existentes.

Santa Cruz, afirmou, que recebeu um telefonema de uma pessoa dando o recado que não teria mais vagas na escola, segundo o músico, no dia anterior havia. Sua esposa pediu para conversar com a diretora do departamento chamada Monica (Mônica Bezerra), que no dia anterior tinha atendido eles, e disseram que teria já saído da unidade. Tico disse ter estranhado, por alguns segundos pensou ser algo pessoal e resolveu ligar, novamente, para mesma unidade, dois minutos depois do outro telefonema.

Publicidade

Atenderam, e Tico deu um outro nome para tirar a prova, e disse que era para outro aluno e a mesma diretora lhe atendeu.

Leia tudo e assista ao vídeo