Eleito pela revista especializada "DJ MAG", em 2017, como o 19º melhor do mundo, o DJ e produtor musical #Alok Achkar Peres Petrillo, 26 anos, conhecido como DJ Alok [VIDEO], estreou no Carnaval de Salvador (2018), comandando o seu próprio trio elétrico, o “Pipoca Alok”.

O DJ fez parte da Programação do Carnaval Pipoca. Para quem não sabe, 'pipoca' é um termo utilizado para os blocos sem cordas, onde a folia é gratuita, sem a necessidade de comprar abadás.

Ele foi uma das atrações mais esperadas pelos foliões, na terça-feira, dia 13, trazendo a música eletrônica para o circuito do Farol da Barra até Ondina. Com todo seu talento Alok conseguiu transformar o último dia do Carnaval de Salvador em uma rave andante.

A bela ação social do artista

Alok que é considerado o maior DJ do Brasil e está entre os melhores do mundo, doou o cachê recebido por sua apresentação no Carnaval de Salvador a instituições sociais, dentre elas, o Projeto Axé que foi fundado há 28 anos pelo ítalo-brasileiro Cesare de Florio La Rocca. O Projeto Axé é uma organização não-governamental (ONG) direcionada para as áreas da educação, arte e defesa de direitos de crianças e adolescentes em condições de vulnerabilidade social, especialmente os jovens moradores de rua da capital baiana.

Após a doação, Alok agradeceu a população soteropolitana pela energia e por tê-lo recebido tão bem e aproveitou para deixar a mensagem de que é necessário termos consciência de que a “nossa felicidade depende da felicidade dos outros”, e se cada indivíduo fizer um pouco será possível mudar a vida de muitas pessoas.

A filantropia já faz parte da vida deste artista há um certo tempo. Ele tem este belo hábito de colaborar com projetos sociais, pois apoia a ONG Fraternidade Sem Fronteiras que trabalha na busca por apadrinhamento de crianças em condições de miséria e fome nas aldeias de Moçambique, sudeste da África. Inclusive, em 2016, o DJ esteve no continente africano e, pelos locais por onde passou, se emocionou vendo de perto a triste realidade das pessoas que viviam em extrema pobreza.

Esta visita foi de grande impacto para o crescimento de contribuições e padrinhos do projeto Fraternidade Sem Fronteiras, pois o DJ aproveitou a visita e fez documentários que foram expostos em suas redes sociais alavancando assim as colaborações.

Também no ano de 2016 ele participou de uma campanha do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC). #Ação Social