Kim Kardashian ficou completamente desolada com um novo incidente trágico que aconteceu nos EUA, mais concretamente na Flórida. A beldade americana [VIDEO] ficou sensibilizada com a tragédia no seu país e está tentando conscientizar as pessoas para as facilidades com que isso pode acontecer, exigindo mesmo para que o Congresso Americano faça alguma coisa.

17 pessoas morreram na sequência de um tiroteio em um colégio da Flórida. Um aluno, que foi expulso por mau comportamento, atirou para matar contra todos que estavam na sua frente, ferindo e matando dezenas de pessoas. A exemplo de várias celebridades, Kim lamentou não só o pensamento assassino do jovem de 19 anos, mas especialmente a facilidade no acesso a armas, que está na legislação dos EUA, um tema tão debatido no país, mas ainda sem resolução.

Barack Obama tentou proibir essa facilidade no uso e posse de armas, mas sua lei não passou. Com Donald Trump, essa lei ficou completamente posta de lado, mas os americanos exigem alguma ação que trave essas tragédias, que acontecem em sucessão no País.

Kim Kardashian [VIDEO]não usou sua voz apenas para lamentar uma tragédia. Kim foi mais além e exigiu medidas ao governo americano, depois de mais um massacre causado pelas armas, e contra quem mais dói: as crianças. "Nós devemos aos nossos filhos e aos nossos professores mantê-los seguros na escola. As orações não farão isso: a ação sim. Congresso, faça o seu trabalho e proteja os americanos da violência sem sentido das armas", exigiu Kim, em um dos apelos mais emocionados e sentidos de todos, que acabaram viralizando, em um dia muito triste para os americanos.

No dia em que os americanos celebram o amor e os namorados (São Valentim), uma tragédia elevou o ódio, que acaba sendo 'permitido' por um governo, que deixa que um jovem estudante, de 19 anos, tenha acesso a uma arma militar. Foi o caso desse garoto, que tinha uma ArmaLite AR-15, que é um rifle de assalto, de fogo seletivo. Kim Kardashian também compartilhou outros tweets, em sua página, para quase 60 milhões de seguidores, incluindo uma estatística dos últimos tiroteios em escolas, todos feitos com essa mesma arma, que continua para venda livre. "Nenhum civil deveria ter acesso a uma arma de assalto. Eles estão matando nossas crianças", escreveu Igor Volsky, uma opinião compartilhada por Kim Kardashian.

Brian Klaas deixou um dos tweets mais dolorosos de toda essa tragédia, por ser tão verdadeiro e tão estranho ao mesmo tempo.

Brian lembrou que o atirador, de 19 anos, não tinha idade legal para comprar uma cerveja, mas que podia comprar legalmente quantas armas e munições ele desejasse. E assim o fez, com o desfecho que se conhece.

Também várias outras celebridades uniram suas vozes a Kim Kardashian, exigindo medidas para travarem esses massacres. Nomes como Mark Ruffalo, Chelsea Handler, Mia Farrow ou Stephen King foram alguns dos mais interventivos nessa questão. Mas, a atriz Patricia Arquette teve uma das sugestões mais interessantes, insistindo que se os traficantes de droga podem ser culpados e condenados pelo problema da droga, então a NRA, que é a associação nacional das armas, e que permite sua venda, é na opinião de Patricia culpada pelos tiroteios em massa.