Sailor Moon é uma história em mangá escrita e desenhada por Naoko Takeuchi, lançada entre 1992 e 1997. Posteriormente, a Toei Animation lançou o anime da série que foi ao ar também entre 92 e 97.

Sailor Moon conta a história de Serena (Usagi Tsukino, no original), uma garota comum que descobre ser a reencarnação de uma deusa da lua. A partir disso, a jovem luta ao lado de outras adolescentes para combater as forças do mal. Quando acionam seus poderes, as protagonistas ganham roupas parecidas com as fardas das marinheiras.

Sailor Moon na Rede Manchete

Muitas crianças e jovens dos anos 90 devem lembrar com carinho de Sailor Moon, pois a animação foi mais uma das várias produções japonesas que passaram na saudosa TV Manchete.

A história de Serena foi transmitida na mesma época de Yu Yu Hakusho, Shurato, Samurai Warriors, entre outros.

Além disso, Sailor Moon foi um dos últimos Animes inéditos adquiridos pela rede manchete - a empresa declarou falência em 1999.

Sailor Netuno e Sailor Urano

Porém, apesar do inegável sucesso, Sailor Moon também é conhecida pelas polêmicas [VIDEO] envolvendo a série. Na terceira fase do mangá e do anime (essa parte não foi exibida na Rede Manchete), surgem mais duas heroínas, Michiru e Haruka, Sailor Netuno e Sailor Urano, respectivamente.

O público, é claro, ficou muito feliz com a aparição das novas "Sailors". Todavia, com o tempo, as atitudes das personagens passaram a chamar muita atenção. O fato é que Michiru e Haruka são um casal lésbico, ou seja, são duas personagens gays.

Claro que, em plena década de 90, apresentar um casal lésbico em um desenho infantil causaria bastante burburinho. Muitos pais no Japão enviaram cartas para a Toei criticando a produção, além de impedir os filhos de assistirem Sailor Moon. No entanto, com o decorrer da trama e um roteiro bem desenvolvido, o público foi se acostumando e as duas personagens passaram a ser tão queridas quanto as outras heroínas.

Censura nos Estados Unidos

Mas, se no Japão o público aceitou o fato das personagens serem lésbicas, nos Estados Unidos foi bem diferente. Na verdade, os responsáveis pela transmissão no país não quiseram arriscar e fizeram algumas mudanças desde o início.

Na versão americana, a dublagem do anime sofreu várias censuras e Michiru e Haruka passaram de um casal lésbico para primas que moravam juntas. Pois é, vários diálogos de diferentes personagens foram alterados para que as duas heroínas não fossem vistas como gays pelo público.

É importante frisar que Michiru e Haruka nunca se beijaram ou mesmo foi demonstrado algo mais íntimo. No entanto, tanto no mangá quanto no anime original, a sexualidade [VIDEO]de ambas as personagens é bastante clara.