Algumas situações ocorridas 'Big Brother' chamam a atenção e [VIDEO] geram muitos debates. No Brasil, o programa dá muita audiência e alguns participantes dão o que falar. O reality show tem participantes polêmicos, como Ayrton e Ana Clara. No entanto, no exterior, algumas edições também dão o que falar. Produzido pela Endemol, o reality é um dos maiores fenômenos.

Na Rússia, o produto costuma ser bem mais hardcore e, algumas cenas ganham grande repercussão. [VIDEO] No Youtube, por exemplo, é comum que cenas de brigas entre os participantes ganhem a tônica de todos.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal BBB Big Brother Brasil

Uma ex-participante do programa acabou morrendo e, mesmo após o seu falecimento, ela foi alvo de um crime terrível.

Na Rússia, ex-participante de reality é morta e acaba sendo vítima de vilipêndio de cadáver

A história envolvendo a ex-participante do programa envolve necrofilia e vilipêndio de cadáver.

O fato repercutiu em todo o planeta. O nome da ex-participante do reality show é Oksana Aplekaeva. Ela foi vítima de assassinato em 2008. Na época, a morte foi investigada, mas apenas agora a polícia divulgou dados sobre um fato importante nessa história. A jovem teve o seu corpo abusado em pleno necrotério por um homem. Os investigadores sempre tiveram essa suspeita, mas agora, com a exumação do corpo, a certeza de que isso aconteceu foi dada. Os detalhes foram revelados e isso acabou gerando grande revolta nos fãs de Oksana Aplekaeva.

Polícia revela que funcionário de necrotério violou corpo de ex-Big Brother

Exames provaram que o DNA encontrado no cadáver de Oksana Aplekaeva pertencia a um funcionário que trabalhava no necrotério para onde o seu corpo foi levado. Ao que tudo indica, outros casos de necrofilia devem ter sido identificados e alguém que conhecia a prática dentro do Instituto Médico Legal (IML).

O homem que realizou a violência contra o corpo foi identificado apenas pelo primeiro nome. Ele seria Alexander.

Homem que abusou de cadáver na Rússia não é preso, mas perde emprego

A Rússia é um país liberal e, na região, abusar de corpos não é considerado crime, já que não existe uma vida ali. A necrofilia não leva ninguém à cadeia na região, e Alexander, mesmo após ter o seu ato descoberto, ficou livre. O estabelecimento, no entanto, achou a conduta do funcionário inadequada. Assim que a polícia mostrou provas contra ele, os donos do estabelecimento decidiram demitir Alexander. O caso provocou revolta na região.