Com atuação destacada em grandes sucessos da teledramaturgia brasileira, como “Pecado Capital” (1998), “Que Rei Sou Eu?”, (1989), “Roque Santeiro” (1985) [VIDEO] e “Véu de Noiva” (1969), o ator e diretor Oswaldo Loureiro faleceu, neste sábado (3), aos 85 anos.

Loureiro sofria de ALZHEIMER e já havia ficado internado outras vezes por conta deste problema de saúde tão série e grave. Dessa vez, ele foi internado, não resistiu e acabou falecendo.

O corpo do ator e diretor foi cremado na tarde de sábado (3), poucas horas depois do falecimento, no cemitério Jardim Colina, localizado em São Bernardo do Campo, região do ABC Paulista.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Famosos

Novelas

A carreira de Oswaldo Loureiro na TV foi bastante ativa e muito positiva. A primeira novela do ator foi “O Direito de Nascer”, de 1964. Além dessa, participou de outras 38 novelas.

A maioria delas na Rede Globo.

Depois da estreia em 1964, voltou ao ar em 1968 para a novela “Sangue e Areia”. Em 1969, fez “Os Acorrentados” e “Véu de Noiva”. Na década de 1970, atuou em cinco produções para a TV: “A Revolta dos Anjos”, “A Volta de Beto Rockefeller”, “Corrida de Ouro”, “O Casarão” e “Roda de Fogo”.

Na década de 1980, atuou em grandes sucessos da história da teledramaturgia brasileira, como “Guerra dos Sexos”, em 1983; “Roque Santeiro”, de 1985; “Camabalacho, no ano seguinte; “Mandala”, em 1987; “Que Rei Sou Eu?”, de 1989; e “Pantanal”, em 1990.

Esta última novela não foi exibida pela Rede Globo. Grande sucesso da teledramaturgia nacional, com audiência elevada, “Pantanal” foi exibida pela extinta Rede Manchete.

Ainda em 1990, Oswaldo Loureiro atuou em “Mico Preto” e “Desejo”.

Voltou ao TV em 1994, com “Incidente em Antares”. No mesmo ano, viveu o personagem Olegário, em “Quarto por Quarto”.

Depois, passou por “Cara e Coroa”, “Decadência”, “Malhação”, “O Fim do Mundo” e “Salsa e Merengue”. Em 1997, voltou à Manchete para atuar em “Mandacaru”. Voltou à Globo para fazer novamente “Malhação”.

Participou do remake de “Pecado Capital” [VIDEO], em 1998. Em seguida, fez “Uga Uga”, “As Filhas da Mãe”, “A Grande Família”, “Kubanacan”, “Celebridade”, “A Diarista”, “Começar de Novo” e, por fim, “A Lua me Disse”, de 2005.

Cinema

No cinema, atuou em mais de 30 filmes. O primeiro deles, “O Brasileiro João de Souza”, de 1944, e o último, “Simão, o Fantasma Trapalhão”, de 1998. Entre 1982 e 1983, Loureiro foi diretor de “Os Trapalhões”, programa que era exibido pela Rede Globo e fazia bastante sucesso.