A Rede Globo de Televisão está exibindo na atualidade, a novela 'O Outro Lado do Paraíso'. O folhetim é líder de audiência no horário nobre da televisão, que é simplesmente o que tem mais gente assistindo algum produto. Uma das tramas dentro da história de Walcyr Carrasco é a de Laura (Bella Piero). Ela é uma vítima de pedofilia e, durante anos, sofreu abusos sexuais do próprio padrasto, Vinícius (Flávio Tolezani). A ideia de '#O Outro Lado do Paraíso' é mostrar que há muitas vítimas de abuso em todo o país e que, muitas vezes, quem é o causador do dano é alguém dentro de casa. No caso da novela, além de padrasto, Vinícius é delegado, o que teoricamente faria com que ninguém suspeitasse dele. [VIDEO]

Conselho de Psicólogos emite nota criticando trama de abuso de 'Outro Lado' e enfatiza 'desserviço'

No entanto, nem todo mundo tem gostado da trama.

Antes mesmo das cenas sobre o abuso de Laura serem exibidas, as críticas a 'O Outro Lado do Paraíso' eram muitas. Desta vez, quem decidiu se pronunciar foi o Conselho Federal de Psicologia, como mostra uma matéria publicada pelo UOL nesta segunda-feira (6). De acordo com o Conselho de Psicólogos, a emissora está fazendo um "desserviço" com a forma como mostra os abusos contra Laura em uma novela.

Novela das nove é vista como 'desserviço' por psicólogos; saiba mais

Os psicólogos criticam que tudo tem sido mostrado com muito 'simplismo' e revela que as vítimas de estupro, pedofilia e outros tipos de abusos podem ter problemas psicológicos muito sérios. Para o Conselho Federal de Psicologia, o fato de 'O Outro Lado do Paraíso' encabeçar essa trama não é positivo e pode, na verdade, causar até mesmo prejuízos a quem já sofre demais por conta dos abusos.

Pedofilia em novela das nove da Globo vira alvo de crítica por profissionais de psicologia

Na nota, o Conselho afirma que "É consenso no Brasil de que pessoas com sofrimento mental, emocional e existencial intenso devem procurar atendimento psicológico com profissionais da Psicologia, pois são os que têm a habilitação. Ainda no documento divulgado no site da entidade, o Conselho lembra que o canal costuma se defender das críticas alegando que as suas obras, na verdade, não passam de uma ficção, mesmo que possam ter semelhança com algum aspecto da realidade, mas que na prática, as novelas, no geral, fazem questão de copiar a realidade e acabam influenciando a maneira como as pessoas vivem. Ou seja, no fundo, acabam prejudicando também essas vítimas de pedofilia. #Famosos