A atriz Tônia Carrero faleceu na noite deste sábado (3), na cidade do Rio de Janeiro, onde morava. Aos 95 anos, ela se submeteu a uma cirurgia simples, mas acabou não resistindo e sofreu uma parada cardíaca [VIDEO].

A informação da morte foi confirmada por seus familiares ao canal pago GloboNews. O falecimento teria acontecido por volta das 22h15 (horário de Brasília). A clínica particular onde Tônia estava realizando a cirurgia fica no bairro da Gávea.

Carreira brilhante de Tônia Carrero

Seja no teatro, no cinema ou na televisão, Tônia Carrero, que foi batizada com o nome de Maria Antonietta Portocarrero Thedim [VIDEO], fez muito sucesso e angariou milhares de fãs por onde passou.

No teatro, estreou na peça “Um Deus Dormiu Lá em Casa”, de Guilherme Figueiredo, em 1949. Era o início de uma brilhante carreira nos palcos, mas ela já havia, dois anos antes, participado do filme “Querida Susana”.

Ao todo, foram 23 peças de teatro. A última foi feita em 2007: “Um Barco Para o Sonho”, de Alexei Arbuzov, com direção de Carlos Artur Tiré. Neste mesmo anos, ela participou de seu último filme: “Chega de Saudade”.

Na telona, foram 19 filmes. Em 1963, por exemplo, ela estrelou três: “Copacabana Palace”, “Esse Rio Que Eu Amo” e “Sócio de Alcova”. Em 1988, mais dois: “A Bela Palomera” e “Fogo e Paixão”.

Na televisão, a carreira de Tônia Carreiro teve início em 1952. Deste ano, até 1960, ele participou do “Grande Teatro Tupi”. Entre os grandes sucessos na telinha, estiveram “Água-Viva”, “Sassaricando”, “Kananga do Japão” e “Senhora do Destino”.

Em 2004, quando a cidade de São Paulo comemorou 450 anos, a Globo levou ao ar a série “Um Só Coração”. Tônia Carreiro participou de forma especial em um capítulo interpretando ela mesma.

Internautas tomam um susto

A morte de uma senhora de 95 anos não assusta ninguém. Já é de se esperar que alguém nessa idade tenha uma saúde frágil e que corra mais risco de morte do que pessoas mais jovens.

Portanto, não foi a morte da atriz que assustou, mas, sim, o temível “Plantão da Globo”. A vinheta tradicional da Rede Globo, usada quando a emissora vai dar uma informação urgente e importante, entrou no meio do filme “Selma: Uma Luta Igualdade”, que conta a história de Martin Luther King.

Rapidamente, os internautas começaram a comentar sobre a situação no Twitter e a tag “Plantão da Globo” apareceu nos trendings topics – ranking dos assuntos mais comentados do microblog.

Confira abaixo os tuítes