Morreu a atriz brasileira Tônia Carrero, uma das maiores estrelas da dramaturgia brasileira.

Maria Antonietta Portocarrero Thedim nasceu em 23 de agosto de 1922, na cidade do Rio de Janeiro, e era descendente do marechal Hermenegildo de Albuquerque Porto Carrero, o Barão do Forte de Coimbra.

Formada em educação física, Tônia quase não tornou-se atriz. Muito jovem, já casada com o artista plástico Carlos Arthur Thiré, ela mudou-se para a França com a família, onde tinha planos de permanecer. Porém, antes de viajar, ela atuara em pequeno papel no filme Querida Susana (1947), produzido pela Companhia Cinematográfica Vera Cruz.

A beleza da jovem chamou a atenção dos produtores, que a convidaram para regressar ao país e ingressar no lendário TBC (Teatro Brasileiro de Comédia), onde ela estreou na peça Um Deus Dormiu Lá em Casa (1949), ao lado do ator Paulo Autran [VIDEO], que se tornaria seu grande amigo para toda a vida. No TBC ,Tônia, já divorciada, conheceria o ator e diretor italiano Adolfo Celi, e com ele se casaria.

Em 1949 retornaria ao #Cinema, atuando em Caminhos do Sul (1949). Tônia se tornaria uma das maiores estrelas do cinema brasileiro, protagonizando clássicos como Tico Tico No Fubá (1952), Apassionata (1952) e É Proibido Beijar (1954).

Ao todo, a atriz atuou em 19 filmes.

No auge do sucesso, recusou convites para atuar em #Hollywood, alegando que não deixaria sua carreira brasileira para uma aventura sem garantias. Não queria trocar o lugar de estrela por pequenos papéis secundários de latinas estereotipadas.

Apesar disto, atuou em produções estrangeiras como o argentino Alias Gardelito (1961) e a coprodução Brasil-Argentina-EUA Sócio de Alcova (Canival of Crime, 1962). Também atuou no filme brasileiro Mãos Sangrentas (1955), que tinha no elenco o astro mexicano Arturo de Córdova.

Na televisão estreou no Grande Teatro Tupi, atuando em diversas peças televisionadas. Sua primeira novela foi na TV Rio, onde estrelou A Mulher Que Amou Demais (1966).

Sempre interpretando mulheres elegantes e sofisticadas, destacou-se em obras como Sangue do Meu Sangue [VIDEO] (1969), Uma Rosa com Amor (1972), Água Viva (1980), Louco Amor (1983), Sassaricando (1987), Kananga do Japão (1989) e Splendor (2000).

Seu último trabalho na televisão foi em Senhora do Destino (2004).

Mãe do ator Cecil Thiré e avó dos atores Luísa, Miguel e Carlos Thiré, Tônia vivia reclusa há muitos anos, devido ao seu frágil estado de saúde. Ela sofria de hidrocefalia oculta, que lhe limitava a comunicação e locomoção.

A atriz faleceu durante uma cirurgia em 3 de março de 2018, aos 95 anos. Relembre a atriz em um comercial do Chevrolet Opala em 1969: