Vencer o Big Brother Brasil [VIDEO]é um dos prêmios mais cobiçados do Brasil. Quem teve a chance de ser chamado para participar desse reality show [VIDEO] é merecedor de ganhar, como qualquer outro. Contudo, uma das participantes do jogo tem uma origem extremamente humilde e pobre, trata-se de Gleici. Claro que isso não é novidade para ninguém. Muito embora algumas pessoas a critiquem nas redes sociais dizendo que tudo isso é marketing, a revelação que a garota acreana mora na periferia de Rio Branco ao lado da mãe e dos irmãos deixou muita gente incomodada.

Para realizar seu grande sonho, quando foi convocada para o BBB, a morena precisou da ajuda de amigos que fizeram uma vaquinha para ajudá-la.

A estudante, hoje com 22 anos, batalha desde os 12 anos para ajudar no sustento da casa, o que não é nada fácil para uma jovem. Tendo em vista que passa por momentos tensos, pois o local onde mora é dominado por facções criminosas e marginalidade. A casa onde reside com a família é bem humilde, a proteção fica por conta de uma cerca de madeira com cadeado. Além disso, a rua não tem pavimentação nem esgoto.

Porém, Gleici não se deslumbra por estar vivendo numa casa de luxo ao lado de pessoas visivelmente de classe social mais elevada. Volta e meia ela conta alguns trechos de sua vida, como o episódio em que a mãe era frequentemente agredida pelo pai, o que a levou a se separar, encontrando ainda mais dificuldades para sustentar os filhos. Quem cuidava dos irmãos era Gleici, enquanto a genitora saia para ganhar o pão de cada dia.

Em entrevista ao UOL, Vanuzia, de 39 anos, mãe de Gleici, conta que foi uma vida muito dura, principalmente depois que ficou viúva. O marido foi assassinado há três anos. Ela precisava sair de madrugada para trabalhar e todo o trabalho da casa ficava por conta de Gleici. Sua vida só deu uma melhorada depois que passou a trabalhar na Câmara de Vereadores e por fora fazia faxinas, conseguindo assim comprar sua casinha, saindo do aluguel.

Sonho do BBB

A acreana relata que sempre gostou de assistir ao reality show e sonhava em participar, mas nunca comentou com a mãe. Tomou coragem e se inscreveu. Essa foi a segunda vez, e a surpresa foi geral quando a produção do programa ligou informando que tinha sido chamada. Mas, veio outro problema, não tinha dinheiro para ir até Porto Velho, Rondônia, onde aconteciam as seletivas. Foi então que os amigo resolveram fazer uma "vaquinha" e mandá-la para o BBB18.