Fotos íntimas de Paolla Oliveira [VIDEO] nua foram vazadas sem autorização, de maneira criminosa, por colegas de trabalho da atriz durante a gravação de um episódio da série “Assédio”, criada em coparticipação entre a Emissora Globo e a produtora O2. As fotos foram feitas durante as cenas sensuais da série.

A Globo (que já toma medidas para que casos como esse não aconteçam), além de se manifestar em apoio à atriz, disse que as barreiras serão alargadas para que as produções e atores sejam ainda mais protegidos em gravações externas.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Famosos

A moção de repúdio a essa atitude também inclui a denúncia do ocorrido as autoridade e divulgação de nota, na qual a emissora afirma estar ativamente procurando os culpados.

E não foi apenas a emissora que se pronunciou contra o fato: Nas redes sociais, a própria Paolla Oliveira [VIDEO] se manifestou sobre suas fotos nuas vazadas, dizendo que esperava mais da sociedade.

A atriz considera ter seu espaço de trabalho violado, tanto quanto sua privacidade, por razões frívolas. Ela (e todos nós) considera o autor do vazamento um criminoso e pede por uma sociedade mais correta onde se possa trabalhar de maneira digna e finaliza com #Atequando.

Fotos vazadas de Paolla Oliveira causam revolta

Em conclusão, não há mais espaço para este tipo de atitude. Tirar vantagem de qualquer exposição é sujo e baixo. O responsável pelo vazamento deve ser punido pelo menos para servir de exemplo, já que esperar por uma convivência decente em sociedade tem sido pedir demais. Mulheres ao redor do mundo sofrem com problemas similares e infelizmente os casos só recebem a devida notoriedade quando acontecem com pessoas públicas. Da mesma forma que atores hollywoodianos estão sendo punidos por suas condutas sexuais exacerbadas (para dizer o menos), vítimas de todos os tipos de assédios estão levantando suas mãos e mostrando suas histórias para que todos vejam.

No Brasil e no mundo, ainda é comum que homens sintam-se no direito de tomar o corpo feminino como objeto de sua propriedade. Isso precisa mudar. Graças a Deus temos uma mulher forte como Paolla Oliveira para reverter a situação a favor da causa, já que tantas mulheres não tiveram a mesma sorte e acabaram perdendo seus empregos, amigos e família depois de um caso semelhante. É necessário também elogiar o trabalho da emissora Globo em proteger suas artistas quando necessário, e reconhecer seus esforços em punir os que insistem em cometer crimes como este.