Separações são momentos complicados na vida de qualquer pessoa e geram dores de cabeça e vários problemas a se resolver. No último dia 9 de fevereiro, Giba teve a prisão de 60 dias decretada por não pagar pensão alimentícia de Nicoll e Patrick, seus filhos com a ex-jogadora de vôlei Cristina Pirv. Isso se deve, aparentemente, ao fato de que o valor pedido por Cristina é abusivo em relação aos ganhos de Giba.

Esse problema é mais comum do que possa parecer. Muitos esportistas e atores famosos sofrem com divórcios que rendem pensões estratosféricas [VIDEO]. Alguns dizem que é justo, mas outros dizem que essa é uma estratégia comum das ex-esposas.

Neste caso em específico, Giba não foi preso, pois conseguiu uma liminar para suspender a decisão até que seja realizada uma audiência. A dívida equivale a dez meses de pensão [VIDEO] e o atleta não conseguira pagar o montante, e isso gerou grande repercussão nas mídias digitais.

Giba chora e desabafa

O que mais surpreende em toda essa história é o desabafo de Giba, que tem a guarda dos filhos compartilhada com Pirv. Em entrevista, ele diz que não aguenta mais e até chorou. A primeira ação foi feita pelo próprio Giba, que achou correto pagar pensão para os filhos. Infelizmente a corretagem dos valores foi desproporcional aos seus rendimentos e para pagar o saldo dividendo, sua atual esposa teve que vender seu carro e ele precisou emprestar dinheiro da família dela e de alguns amigos.

Hoje o ouro em Atenas-2014 vive em casa alugada e dirige um carro financiado.

Mesmo assim ele ainda faz depósitos de aproximadamente 6 mil reais por mês, além de pagar colégio e plano de saúde para seus filhos. Ele diz que não ganha mais os enormes salários que ganhava antes, que as acusações feitas são completamente indevidas.

Infelizmente toda essa exposição não faz mal apenas à Giba, que teme perder seus patrocinadores, mas também fere seus filhos. A coletiva de imprensa onde tudo isso foi dito, foi convocada por ele mesmo, para que ele pudesse esclarecer e dar sua versão dos fatos, evitando assim que sua imagem fosse denegrida por terceiros (um movimento muito bem pensado, diga-se de passagem). Por outro lado, ainda existe toda uma gama de pessoas que acreditam no bom caráter do ex-atleta da seleção brasileira e que ofereceram suporte emocional para ele através das mídias sociais. A Justiça deve rever o caso em breve e com sorte tudo isso deve chegar a uma resolução pacífica.