Bruno Fernandes das Dores de Souza, mais conhecido apenas como Goleiro Bruno ou goleiro matador. O apelido acabou se tornando o retrato de um crime que destruiria a carreira de Bruno, mas ele não foi a vítima, e sim, o culpado.

Bruno foi preso em 2010, no auge de sua carreira, sob a acusação de mandar matar a sua ex-amante, que teria lhe pedido pensão alimentícia para o filho que tiveram juntos. Três anos mais tarde, ele e seus comparsas foram condenados pelo assassinato e ocultação do cadáver de Elisa Samudio. Bruno recebeu a sentença de 22 anos e três meses de prisão, tempo em que tem sido aos poucos reduzido pelo benefício da progressão de pena.

Como parte da progressão, o preso precisa estudar e/ou trabalhar para ter dias descontados de sua condenação, e Bruno começou em um novo trabalho há duas semanas. O cargo, entretanto, não tem a ver com a vida de glamour e fama que ele estava acostumado nos gramados de clubes de futebol. Bruno é o novo faxineiro de um batalhão do Corpo de Bombeiros.

Segundo publicação do R7, o goleiro está satisfeito [VIDEO] com a nova função, pois quer progredir para o regime semiaberto o quanto antes possível. A solicitação para que Bruno virasse faxineiro no batalhão foi feito por um tenente da mesma unidade em que ele trabalha. A Vara de Execuções Penais autorizou o serviço do goleiro.

Antes de trabalhar na faxina, Bruno chegou a jogar pelo Boa Esporte, time de futebol que o contratou no ano passado, entretanto, uma liminar julgada pelo Supremo fez com que o goleiro voltasse para a prisão.

Há alguns meses, ele começou a dar aulas de futebol para crianças carentes, mas o trabalho foi encerrado por falta de autorização legal para a função.

Curiosidades sobre a vida do goleiro Bruno

Apesar de ter sido condenado pelo assassinato da ex-amante, Bruno se casou após o crime. Após o divórcio da ex-esposa traída, que a princípio apoiou o goleiro no período de investigações, Bruno se casou na prisão com uma dentista.

O ex-jogador veio de uma família completamente desestruturada e destruída. Sua mãe o abandonou com os avós logo que nasceu e os dois só se reencontraram 22 anos depois. Após consumir cocaína com uma mulher não identificada, a mãe de Bruno tentou matá-la. Ela foi denunciada por tentativa de homicídio [VIDEO], mas não chegou a ser presa. Ela também chegou a ser acusada de cometer uma fraude com documentos de terceiro. O irmão do jogador já foi preso por furto no Piauí.