A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um dos temas mais comentados da imprensa nas últimas semanas. [VIDEO] O petista foi parar na sede da Polícia Federal na cidade de Curitiba, no estado do Paraná. A cobertura da prisão de Lula mexeu com as principais emissoras do país. O canal de Silvio Santos, no Paraná, por exemplo, fez uma ampla cobertura jornalística sobre o feito. No entanto, um apresentador acabou sendo demitido por não concordar com o SBT local, que defendia a visão da Justiça e do Supremo Tribunal Federal (STF), que, após não dar o habeas corpus a Lula, acabou possibilitando a prisão do colega político de Dilma Rousseff. [VIDEO]

Apresentador diverge de cobertura sobre Lula e acaba demitido do SBT

De acordo com informações do site 'Notícias da TV', em reportagem publicada nesta quarta-feira (18), o apresentador Rogério Forcolen teria brigado com o diretor de jornalismo da emissora no Paraná.

Ele não queria apresentar o telejornal local por divergir da forma como a prisão do ex-presidente estava sendo tratada. A discussão aconteceu com Mauro Lissoni. Para Rogério Forcolen, a emissora estava muito partidária em se mostrar a favor da prisão. O comunicador chegou a se recusar até mesmo a fazer um programa para a internet, que antecede o telejornal.

Rogério chegou a ser suspenso por três dias dos trabalhos e, ao voltar, descobriu oficialmente sua demissão. O motivo foi a falta de aceitação do processo jornalístico e do trabalho por questões políticas. Rogério estava apresentando o 'Tribuna da Massa Manhã'. Não é a primeira vez que ele é demitido de um canal de televisão. Isso já aconteceu outras vezes. Em todas, os motivos foram as brigas internas. Forcolen ficou muito conhecido por apresentar o 'SBT Rio', exibido no Rio de Janeiro, mas o seu temperamento fez com que ele fosse retirado da programação do SBT carioca.

Rogério fez a cobertura para TV sobre o Lula de maneira triste e apática. Normalmente, ele comenta as notícias veiculadas, mas com a prisão do ex-presidente, o jornalista praticamente ficou calado. Ao terminar sua participação no telejornal do Paraná - a terra do juiz da Lava Jato Sérgio Moro - ele chegou a dizer um até segunda, o que nunca aconteceu, já que sua demissão foi anunciada logo na sequência.

Além da briga com Lissoni, pesaram contra o apresentador a queda na audiência (o programa não passava dos três pontos e não era competitivo diante da afiliada da Record) e a queda do faturamento do noticiário: parte dos anunciante.