O Brasil amanheceu mais triste neste sábado (28). Tendo feito diversos trabalhos tanto no cinema quanto na TV, onde se destacou em programas humorísticos, morreu nesta madrugada, no Leblon, no Rio de Janeiro, o ator e comediante Agildo Ribeiro, aos 86 anos de idade. Ele sofria de problemas cardíacos. Informações sobre o velório e o enterro ainda não foram divulgadas pela família.

Ele participou de diversos programas [VIDEO] na TV Globo, dentre eles “Planeta dos Homens”, “Zorra Total”, “Escolinha do Professor Raimundo”. Seu último trabalho na TV foi em “Tá no Ar: a TV na TV". Já no cinema ele teve como trabalhos mais recentes “O homem do ano”, de 2003, “Casa da Mãe Joana”, este último de 2008.

Em março deste ano, Agildo foi homenageado no Prêmio do Humor, idealizado e apresentado por Fábio Porchat.

Ele foi casado diversas vezes, incluindo matrimônios com as atrizes Marília Pera e Consuelo Leandro, também já falecidas.

A carreira

Nascido em 26 de janeiro de 1932, no Rio de Janeiro, Agildo da Gama Barata Ribeiro Filho, era filho de militar e seu pai foi um oficial do exército que participou da do movimento tenentista e da Revolução de 1930. Já seu avó, foi o primeiro prefeito do Distrito Federal, na época em que o Rio de Janeiro ainda era a capital do Brasil. Depois da Revolução Constitucionalista de 32, passou seus primeiros anos de vida em Portugal, onde a família havia se exilado. Tendo aprendido falar com uma babá portuguesa, ele adquiriu sotaque lusitano e todos achavam graça em seu jeito de falar.

“Vou ganhar dinheiro com isso quando eu crescer”, imaginava na época.

De volta ao país, como a maioria dos grandes artistas brasileiros, [VIDEO] começou sua carreira no rádio, porém foi se destacar mesmo com seus trabalhos na TV, ficando conhecido como o “Capitão do Riso”. “Virou hábito: eu abro a boca e todo mundo ri”, disse o humorista certa vez durante uma entrevista. O salto para a Televisão veio após interpretar o personagem João Grilo, na peça o “Auto da Compadecida”, o que lhe rendeu convites para participar de outras esquetes de humor e programas e acabou sendo um dos primeiros atristas contratado pela recém-aberta Rede Globo, no ano de 1965, onde fez diversos programas humorísticos na emissora. Um de seus personagens mais conhecidos foi no Zorra Total, onde interpretava libidinoso Madeira, do bordão “Dá uma choradinha”. Na Escolinha do Professor Raimundo fez o aluno Andorinha.