Padre Fábio de Melo foi o convidado do programa "Conexão Repórter" [VIDEO], SBT, na última segunda-feira (23), quando bateu um papo com o jornalista Roberto Cabrini e abriu seu coração. O religioso falou de sua vida e seu drama particular, [VIDEO]o suicídio da irmã Cida, dando a entender sentir-se culpado por não ter conseguido salvá-la da depressão que a matou. "Eu achei que tinha sido tudo uma mentira, uma bobagem", lamentou o religioso. Segundo ele, o que mais dói é pensar que em meio a todo aquele sofrimento, não teve capacidade de tirá-la daquele buraco, não conseguiu ser para sua irmã o que é para tantas pessoas desconhecidas.

Num desabafo que deixou muita gente surpresa, o Padre, de 47 anos, ainda contou que seu sentimento foi de impotência em meio a tanta dor: "É como se eu fosse um excelente médico e o paciente está morrendo ao meu lado e eu não vejo", disse ele explicando que quando a irmã morreu imaginou que sua tivesse acabado.

O religioso é conhecido por chamar atenção das pessoas para os perigos da depressão e doenças psíquicas.

Outro momento forte da entrevista foi quando o padre cantor admitiu que luta diariamente contra a síndrome do pânico, doença psicológica que causa medo e ansiedade, levando a pessoa a se isolar de tudo. Quando estava no auge das crises, disse que pensava muito na irmã. "Era a lembrança que mais me doía, eu não consegui chegar ao sepultamento", falou com tristeza na voz.

Os fãs do famoso logo deram uma resposta nas redes sociais e lamentaram junto com ele. Um internauta perguntou como ele sendo um religioso explicava Deus ter permitido aquilo acontecer. Ao que ele respondeu: "Deus não interfere nas nossas ações. Ele nos deu o livre arbítrio". Outro ainda comentou que não conseguiu dormir direito depois da entrevista.

Muitos elogiaram também a coragem de Fábio de Melo falar tão abertamente de seus problemas e medos.

Síndrome do Pânico

Em 2017 o famoso foi às redes sociais contar o drama pelo qual estava passando, a síndrome do pânico, doença silenciosa que pode acometer qualquer pessoa. Em uma entrevista ao Fantástico, admitiu ter ficado trancado dentro de casa por uma semana, a sensação que apertava seu peito era de profunda tristeza e pensamentos de morte: "Nunca chorei tanto na minha vida".

Muito emocionado, Fábio de Melo contou que o pavor era tanto que chegava a se esconder embaixo da cama para sentir-se mais protegido. Na época não descartou a possibilidade de fazer terapia, mas garantiu que toma medicações e tudo estava sob controle.