A liberdade de Gustavo Corrêa, cunhado de Ana Hickmann, ainda não está garantida. Ele foi julgado e absolvido no caso do assassinato de Rodrigo Augusto de Pádua, que aconteceu na capital mineira, no dia 21 de maio de 2016. Os advogados do réu alegaram que agiu em legítima defesa, mas o MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) vai recorrer da decisão.

Entenda

O atentado sofrido por Ana Hickmann ganhou repercussão internacional, um suposto fã da apresentadora invadiu o quarto de um hotel no bairro Belvedere, Zona Sul de Belo Horizonte, onde ela estava hospedada e a ameaçou de morte. Durante a ação, Augusto disparou contra Giovana Oliveira, assessora de Hickmann e esposa de Corrêa e continuou a fazer ameaças.

Ainda de acordo com os depoimentos prestados, desesperado com o ataque de Augusto, Corrêa partiu para a luta corporal na intenção de imobilizá-lo. Durante o embate, o cunhado de Ana teria desarmado o agressor e disparado três vezes contra o mesmo. Augusto morreu no local.

O MP denunciou Gustavo Corrêa pelo crime de homicídio doloso, quando há intenção de matar. Segundo o promotor Francisco Santiago, Rodrigo Augusto foi assassinado com três tiros na nuca o que indica execução, em seu entendimento houve um excesso de legítima defesa que se configura em homicídio.

Absurdo

O promotor disse que entraria com um recurso contra a absolvição de Corrêa, no Fórum Lafayette, localizado na capital mineira ainda nesta quarta-feira (4). De acordo com Francisco Santiago, Gustavo Corrêa deve ir a júri popular, que a absolvição concedida pela magistrada Âmalin Azis Sant'Ana, do Tribunal do Júri de Belo Horizonte é equivocada.

“É um absurdo a absolvição. Não tem como aceitar a legítima defesa. Vou lutar até o fim [VIDEO]", afirmou Francisco.

"Faria tudo de novo"

Ao saber que havia sido absolvido, Gustavo comemorou a decisão nas redes sociais. Corrêa disse que já tinha alcançado três sentenças favoráveis a ele contra a um promotor que insiste em condená-lo. Ele aproveitou para desafiar o promotor quando afirmou: "Siga em frente na sua empreitada em destruir com a minha vida que eu sigo com minha defesa. Fiz e faria tudo de novo, sempre disse isso".

A apresentadora Ana Hickmann também usou as redes sociais para agradecer a todos que sempre estiveram ao lado dela e de sua família. Ana disse que está em paz e que tem certeza que a justiça foi feita.

Quem era Rodrigo Augusto de Pádua?

Rodrigo Augusto de Pádua tinha 30 anos, quando foi contido e assassinado em um ataque contra a apresentadora Ana Hickmann, no dia 26 de maio de 2016. De acordo com o portal de notícias online [VIDEO] do jornal 'O Tempo', Rodrigo tinha uma fixação doentia em relação à apresentadora.

Ele começou a enviar mensagens para Hickmann em 2010, foram milhares de postagens direcionadas a ela durante cinco anos, muitas delas de cunho sexual e violentas.

Pádua chegava a enviar dezenas de mensagens diariamente, seu relacionamento platônico com a apresentadora era recheado de palavras de amor, ódio e vingança. “Minha paixão, você sabe que o meu amor pela minha putinha safada é gigantesco, né?”, dizia uma das postagens.

Sua obsessão ultrapassou os limites da sanidade e terminou em uma grande tragédia. #Crimes #Violência no Brasil #Televisão