No começo de abril os fãs da dupla sertaneja Simone e Simaria foram pegos de surpresa com o anúncio da doença de Simaria. A morena precisou se afastar dos palcos para começar o seu tratamento contra a tuberculose ganglionar.

Embora muita gente tenha apelado e criado boatos sensacionalistas de que a doença era muito grave e que a cantora corria riscos, a verdade é que, felizmente, todos os tipos de tuberculose possuem tratamento e cura. Já faz muitas décadas que uma pessoa com a doença pode viver normalmente sem precisar se isolar das outras pessoas por medo de transmissão da enfermidade. O tratamento, inclusive, é feito gratuitamente pelo SUS para quem não possui plano de saúde, possuindo ampla divulgação em postos de saúde.

Após um mês afastada dos palcos e com Simone cumprindo a agenda da dupla sozinha, a assessoria de Simone e Simaria anunciou que a morena voltará aos palcos no final de maio, ou seja, daqui duas semanas.

Os fãs da dupla usaram as redes sociais para comemorar, pois isso significa que Simaria está bem. Mesmo retomando sua rotina de shows e gravações, a cantora deve ficar alguns meses tomando os medicamentos do tratamento. Em alguns casos de tuberculose, o paciente segue com sua vida normalmente, mas precisa se tratar por até dois anos. O tratamento é feito com alguns medicamentos orais, incluindo antibióticos.

O bom para a dupla é que antes da doença de Simaria, ela e a irmã já haviam decidido tirar algumas semanas de descanso em maio, logo, não haverá uma agenda extensa nos próximos dias e assim Simaria ganha alguns dias a mais para descansar antes de levar o show [VIDEO] das ‘coleguinhas’ para todo o Brasil.

O tratamento para a tuberculose

O Ministério da Saúde orienta que o infectado se trate por no mínimo seis meses, a fim de ter a certeza de que nenhuma bactéria continuou no corpo do paciente. Caso o tratamento seja encerrado pelo simples fato da pessoa se sentir bem e curada, pode existir alguma bactéria que se torne resistente ao medicamento e torne a cura mais difícil [VIDEO].

A tuberculose pode surgir após uma significativa baixa no sistema imunológico, bem como alguns casos são transmitidos por via respiratória. Realizando o tratamento adequadamente não há risco de transmissão para as pessoas próximas, sendo desnecessário que o doente se isole como acontecia no século passado.

A vacina BCG protege as crianças da tuberculose, mas o efeito não se estende na vida adulta, havendo muitos casos de pessoas que foram vacinadas na infância e adquiram a doença após os 30 ou 40 anos.

Nos casos mais graves e não tratados, o paciente pode vir a óbito. O número de casos fatais da doença pelo mundo caiu quase 40% nos últimos dois anos, devido a acessibilidade do tratamento e a vacinação nas crianças, entretanto, a enfermidade ainda é uma grande vilã na vida das pessoas mais pobres e que não possuem acesso ao tratamento correto.

A doença também é muito comum e perigosa em pacientes com HIV, pois o organismo da pessoa está sempre com baixa imunidade, o que torna a cura mais difícil e lenta.