2

Os anos 90 foram marcados por dezenas de filmes que passavam na TV aberta e se tornaram verdadeiros clássicos da cultura pop, garantindo um lugar especial em nossas memórias. Quem diria que um dos filmes mais queridos dessa época voltaria com tamanha presença para reacender nossa paixão pela franquia... Sim, Karatê Kid voltou! E chegou dando voadora, sem piedade, bem no nosso ponto mais fraco: A nostalgia.

Cobra Kai nos leva 30 anos após os acontecimentos do primeiro filme de 1984, quando um torneio de Karatê representou muito mais do que apenas uma competição para decidir quem era o karateca mais habilidoso do pedaço, mas, mais do que isso, foi o ringue onde Daniel LaRusso (Ralph Macchio) precisou provar a si mesmo que podia derrotar seus demônios, representados principalmente pelo seu arquirrival, Johnny Lawrence (William Zabka), até então o pior bullier que atormentava o rapaz.

Agora o decadente Johnny se vê em uma situação complicada, o que o leva a reabrir o famigerado dojo, Cobra Kai. Este fato revive a rivalidade entre ele e Daniel LaRusso, que leva uma vida bem-sucedida. A série é distribuída pelo serviço de assinatura do YouTube, o YouTube Red (ainda indisponível no Brasil), mas os episódios também podem ser comprados de forma avulsa pela plataforma; os 2 primeiros são gratuitos, os outros 8 custam R$ 3,90 cada.

Karatê Kid foi uma febre quando passou pela primeira vez na TV aberta. Quem tem por volta de 30 anos vai lembrar: quem nunca tentou imitar o “Golpe da Garça” — como ficou conhecido por aqui o famoso golpe do Daniel San — logo após ver o filme? As escolas de karatê tiveram um aumento de procura absurdo logo após a estreia. Se você fez parte disso, ou simplesmente gostou do filme, então Cobra Kai é feito especialmente para você!

Mas a série Cobra Kai é boa?

Acredite, a série é uma grata surpresa.

Cobra Kai tem um roteiro muito bom de ritmo e deveras envolvente, fazendo você querer maratonar já desde o primeiro episódio. O tom é muito bem equilibrado entre o drama, o humor e a ação. Os principais atores estão muito bem em seus papéis. Cabe aqui uma menção honrosa ao Barney Stinson, da série How I Met Your Mother [VIDEO]: ele estava absolutamente certo, William Zabka é o cara! O carisma que ele traz para Johnny Lawrence (o verdadeiro herói de Karatê Kid, segundo Barney) é a melhor coisa da série, sem dúvidas.

Não só ele, metade dos coadjuvantes são carismáticos, principalmente os amigos de Miguel Diaz (o discípulo de Johnny). Daniel LaRusso está bem representado por Ralph Macchio também, porém não chega aos pés do seu arquirrival nesse quesito. Você será espancado pelas autorreferências, advindas de toda parte ao longo dos 10 episódios e, muitas vezes, irá se emocionar com elas. A direção é muito competente em misturar os velhos elementos com os novos. Por último, entre as muitas qualidades de Cobra Kai que cabem ser citadas aqui, está a excelente trilha sonora, o hard rock dos anos 80/90 é muito bem prestigiado na série, gerando pérolas no roteiro.

Como nada é perfeito, alguns problemas podem ser identificados, como: os artifícios fáceis e um tanto forçados de roteiro, existentes aqui e ali que, aliados a alguns personagens estereotipados demais, tiram um pouco da organicidade da série e podem incomodar levemente. Porém, Cobra Kai é forte o suficiente para compensar estes problemas.

Além disso, seriam mesmo defeitos reais, ou é assim propositalmente? Fica a dúvida, pois pode ser só mais um brinde aos filmes dessa categoria que assistíamos na infância: cheios de clichês, personagens rasos e situações bobas, mas que adorávamos, pois não éramos tão críticos na tenra idade. Crescemos e ficamos adultos “chatos”, será? Bem, a própria série, no seu subtexto, tem algo a dizer sobre isso.

Cobra Kai é excelente e merece ser assistida, ela desenvolve uma interessantíssima tridimensionalidade nos personagens, aprofundando seus dramas — principalmente pelo lado do Johnny Lawrence — sem deixar o bom humor e a leveza de lado, brincando constantemente consigo mesma e tratando de temas ainda muito relevantes na atualidade. Sem deixar de trazer algo novo, a série ataca a nostalgia de forma dura e impiedosa, para alegria tanto dos adultos, como daquelas crianças que ainda fazem o Chute da Garça dentro de nós. Assista!

Primeiro episódio de Cobra Kai (legenda em PT-BR nas configurações de vídeo)