Em março deste ano, a atriz Paolla Oliveira frequentou os noticiários policiais depois que um homem que trabalhava como câmera na série “Assédio”, produção da Globo com a O2, fotografou a atriz pelo celular enquanto ela trocava de roupas e enviou as fotos [VIDEO] via WhatsApp.

As imagens vazadas passaram a circular nas redes sociais e o homem foi descoberto. À época, Paolla Oliveira se revoltou com a situação e afirmou que iria até as últimas consequências para que o funcionário respondesse pelo crime que cometeu. A atriz recebeu total apoio da Globo, que baniu o homem de suas produções, e também da produtora O2.

Saiba o motivo do perdão de Paolla Oliveira

A informação do porquê Paolla Oliveira perdoou o operador de câmera que vazou suas imagens [VIDEO] sem autorização foi divulgada pelo colunista Flávio Ricco, do UOL, nesta quinta-feira (10).

De acordo com pessoas próximas da atriz, pesou o fato de o operador de câmera ser pai de família e as dificuldades que ele encontrará para retornar ao mercado de trabalho.

Apesar de ter ficado brava com a situação, a atriz mostra uma humanidade fora do comum ao não querer agir com vingança. Por outro lado, o homem que vazou as fotos e outros que podem vir a fazer isso com qualquer outra mulher, podem entender que agir dessa forma não é passível de punição.

Globo não se pronunciou sobre o caso

Assim que Paolla denunciou o caso nas redes sociais, em março, a Globo emitiu uma nota de repúdio à ação de vazamento das fotos e declarou que não pouparia esforços para que o culpado fosse encontrado e punido de acordo com a Lei.

A emissora também prometeu, à época, aprimorar as medidas de segurança, que serão ainda mais rígidas em estúdios fora da Globo.

A série “Assédio” estava sendo gravado na produtora O2.

A Globo não se pronunciou ainda sobre o perdão de Paolla ao operador de câmera. Não se sabe como a emissora vai reagir e pode ser que a Globo também não dê prosseguimento ao caso.

De qualquer forma, o profissional ficará “queimado” no mercado de trabalho e corre o risco de ter que mudar de profissão. Dificilmente, alguma produtora vai dar emprego a ele sabendo das fotos de Paolla que ele vazou.

Este caso serve como exemplo de que em um ambiente de trabalho é necessário ser profissional em todo o tempo. Na área da comunicação rápida, dos aparelhos móveis e de aplicativos de mensagens instantâneas, o profissionalismo deve ser a principal marca de todos. Vazar nudes, além de antiético, é crime.