A notícia do mundo do samba dessa quinta-feira, 17, foi a morte da jornalista e apresentadora Gleides Xavier. Apesar de ela ter saído dessa vida aos 50 anos de idade, muitos sessentões passaram boa parte do seu tempo ouvindo a voz inconfundível da jovem e alegre apresentadora de programas de rádio.

Atualmente, Gleides apresentava o “Roda de Samba”, transmitido pela 105 FM, de São Paulo. A sambista com 30 anos de rádio foi vítima de uma pneumonia, resultante do vírus H1N2.

Na página do Facebook da jornalista da 105 FM, uma mensagem de pêsames, com o título “A voz do samba nos deixou hoje!”, comunica: “Faltam palavras [VIDEO] para expressar nossa dor.

Ela vinha apresentando melhoras o que nos encheu de fé e esperança, mas devido à complicação nesta madrugada ela não resistiu. Nossos sentimentos aos familiares da nossa rainha do samba. O corpo dessa jovem senhora foi velado e cremado [VIDEO] ainda nesta quinta-feira, no Memorial Parque Paulista, na cidade de Embú das Artes, em São Paulo.”

A radialista [VIDEO], casada e mãe de uma filha, trabalhou também durante muitos anos na Rádio Transcontinental FM (104,7), num programa de samba de muito sucesso. A atração ia ao ar aos sábados de manhã, distribuindo prêmios entre seus ouvintes.

Durante esse programa, Gleids apresentava, sempre com muita alegria, diversos artistas que lançavam músicas de seu trabalho pela primeira vez. A profissional da rádio brasileira atuou ainda em emissoras como Rádio Bandeirantes FM, Alpha FM, América FM e TVs.

Atriz que primeiro interpretou Dona Nenê morre aos 92 anos de idade

Quem também deixa saudades no público brasileiro é a atriz global Eloísa Mafalda. Dona da primeira personagem Dona Nêne, de a “Grande Família”, da Rede Globo de Televisão, a veterana atriz morreu aos 92 anos de idade nesta quarta-feira, 16, em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro.

Eloísa Mafalda tem ainda em seu currículo personagens como a Beata Pombinha, de ‘’Roque Santeiro’’, veiculada pela TV Globo em 1985, e ‘’Cabana do Pai Tomás’’, de 1969. Numa entrevista reprisada nesta quinta-feira no vespertino “Vídeo Show”, a atriz contou que não era sua vontade fazer parte do mundo artístico, nem radiofônico, aonde também chegou a atuar. “Eu queria é casar”, afirmou a veterana atriz.

Eloísa Mafalda, que deixa dois netos e dois bisnetos, teve diagnóstico de Alzheimer em 2002, e desde então vinha combatendo a doença. Sobre sua morte pesou também complicações respiratórias. O corpo da atriz, que está sendo velado no Teatro Polytheana, será sepultado nesta sexta-feira, 18, no Cemitério Nossa Senhora do Desterro, em Jundiaí, interior de São Paulo.