Considerado um dos religiosos mais amados, respeitados e influentes do Brasil [VIDEO]na atualidade, o padre Fábio de Melo, que se encontra com 47 anos de idade, voltou a surpreender o país, bem como os milhões de fiéis que o acompanham em suas apresentações e rede sociais, ao dar mais detalhes a respeito de seu problema psicológico, a síndrome do pânico.

Participando do programa de televisão, 'Mariana Godoy Entrevista', produzido e exibido pela RedeTV! na noite desta última sexta-feira, (27), o sacerdote da igreja católica falou abertamente sobre o período difícil que enfrentou quando se viu passando por crises desesperadoras e diárias de pânico.

Fábio de Melo detalha seu sofrimento por conta da síndrome do pânico

Durante uma entrevista franca e um tanto quanto reveladora a jornalista e apresentadora, Mariana Godoy, o padre Fábio de Melo literalmente rasgou o coração e expôs mais detalhes sobre sua difícil batalha contra a doença.

Recebendo o diagnóstico de síndrome do pânico em agosto de 2017, o religioso, que é bastante adepto das redes sociais, surpreendeu seus milhões de seguidores ao compartilhar um desabafo emocionante a [VIDEO] respeito de como vinha se sentindo. Utilizando seu perfil oficial no Instagram para revelar publicamente que vinha enfrentando crises horrendas de medo e ansiedade e que por diversas vezes se viu chorando copiosamente embaixo da cama e atrás dos armários, temendo que algo de muito ruim lhe acontecesse.

Visivelmente sereno durante o bate papo com Mariana Godoy, o padre falou abertamente sobre o mal que o acometeu e em dado momento da conversa, emocionado, ele revelou que chegou a pensar em morrer. Com suas próprias palavras, ele declarou: "Pensei em morrer muitas vezes, em deixar tudo para traz e parar de fazer tudo que faço, em acabar com tudo o que eu tinha iniciado. É impressionante como o pânico retira o chão da gente."

Religioso dá dica para controlar o medo e a ansiedade

Após falar sobre como foi e continua sendo duro enfrentar a síndrome do pânico, o padre Fábio de Melo faz um alerta a todos que o acompanham e temem enfrentar ou até mesmo enfrentam a doença, que para ele é um mix que envolve tanto o psicológico como o físico.

A fim de ajudar uma legião de pessoas que sofrem com a síndrome, ele revela que: "Uma vida de oração é a maior e melhor oportunidade que a gente tem de equilibrar o corpo e a mente, isso porque a respiração fica lenta, o sistema cerebral fica harmonioso e há benefícios físicos nisso, que podem ajudar e muito quem sofre desse mal."