Neste fim de semana, a apresentadora Ana Maria Braga resolveu pescar em alto mar com seu amigo, o médico Eduardo Tomioka. Mas o que os dois não esperavam era que a pescaria terminaria com problemas com a polícia. Eduardo contratou um serviço e o dono da embarcação que a apresentadora da Rede Globo estava acabou sendo advertido por policiais. A loira publicou uma imagem nas redes sociais ao lado dos peixes que eles pescaram durante o passeio no mar.

Loira estava bem longe da costa e acabou levando diversos peixes para a casa após a pescaria

O encontro entre Ana Maria Braga e o médico aconteceu no litoral paulista e juntos os dois embarcaram em alto mar.

Para pescar peixes grandes é preciso ir bem longe da costa, pois muitas espécies já não existem próximo às praias. O médico e a apresentadora estavam com Thiago Andanti, dono do barco em que eles estavam. Além disso, o proprietário é especialista em pescas em alto mar, o que rendeu vários exemplares de peixes para os pescadores.

Mas não foram as espécies pescadas por Ana Maria Braga e seu amigo que renderam uma visita da polícia e da Marinha brasileira. Entre os peixes levados por eles, estava incluso um atum, um peixe considerado uma iguaria por muitos, e sua espécie, chamada atum azul, é um dos mais raros do mundo.

O problema com as autoridades aconteceu após o dono da embarcação não respeitar a legislação marítima. Segundo algumas leis específicas, a aproximação de plataformas petrolíferas, por exemplo, é expressamente proibida.

Mas parece que Thiago Andanti acabou se esquecendo disso.

Apresentadora estava pescando com amigo em alto mar próximo a uma plataforma petrolífera

Os três estavam pescando muito longe da costa, próximo à plataforma Mexilhão, que fica no litoral paulista, na famosa Bacia de Santos que pertence a Petrobras. O barco estava a 145 km de distância da costa, somente assim era possível encontrar peixes no local, segundo especialistas sobre a vida Marinha no litoral paulista.

A embarcação que Ana Maria Braga estava chegou a ser advertida pela Petrobras através da plataforma de petróleo. Segundo Thiago, os três se afastaram após o aviso, navegando para uma zona mais afastada. Mas isso não foi o suficiente, e Thiago teve a sua embarcação lacrada após policiais e agentes da Marinha o visitarem após a pescaria com a famosa. O piloto da embarcação tentou se justificar e disse que havia mais oito embarcações próximas à [VIDEO] plataforma, e que somente o barco dele teria sido advertido pelas autoridades. A pena para o crime cometido por Thiago poderá ser uma multa ou até a quatro anos de reclusão.