Nem todo mundo vive o glamour das subcelebridades ao deixarem uma edição do Big Brother Brasil. O BBB 17, em especial, parece não ter sido um caminho para a felicidade para ninguém, nem mesmo para a vencedora Emilly Araújo, que não conseguiu nenhum trabalho na TV e teria gasto parte significativa do prêmio para pagar dívidas.

Neste domingo, 10, a ex-BBB17 Elis Nair usou as redes sociais para desabafar sobre a prisão do filho. O filho em questão é Jhefferson Gonçalves, de 22 anos. Segundo Elis, ele estaria internado em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos.

Ainda segundo informações da ex-BBB [VIDEO], ela teve conhecimento da prisão após receber uma ligação de um jornalista falando sobre o caso.

Elis garante que não recebeu nenhuma ligação da clínica para informá-la que o filho havia fugido do local.

Ela divulgou alguns curtos vídeos na internet para dizer que não tinha conseguido contato com as autoridades ou com a clínica em que havia internado o filho, que era viciado.

Elis ficou conhecida no reality por causar intrigas entre os colegas, mas fora do confinamento ganhou fama ao ser pedida em casamento pelo colega Luiz Carlos, momento em que ela comemorou e pediu desculpas para Tiago Leifert pelas polêmicas que aconteceram no reality por sua causa.

O crime cometido pelo filho da ex-BBB Elis

Segundo informações divulgadas pelo tenente Douglas Reis que atendeu o caso, Jheferson foi em uma festa no último fim de semana. No local ele se envolveu em duas brigas, mas na primeira houve apenas um bate-boca [VIDEO] e logo os ânimos se acalmaram, entretanto, na segunda discussão o assunto ficou sério e houve agressão.

Tudo começou quando a vítima, André Luiz Bispo, de 28 anos, teria empurrado Jefherson no calor da discussão. O filho da ex-BBB então sacou uma arma branca e desferiu golpes contra o rapaz. Jheferson fugiu do local dos fatos e foi preso no domingo, 10.

Segundo divulgação do jornalismo da Rede TV, Jefherson confessou e contou para a polícia civil que deu cinco facadas no peito da vítima após uma discussão. André, a vítima, teria morrido no local do crime. A polícia afirma que Jefherson contou com a ajuda do amigo Paulo Henrique de Souza, que teria segurando a vítima para que não reagisse ao ataque.

A polícia prendeu Paulo e Jheferson em uma casa localizada no Setor Tradicional de Brazlândia, em Brasília. Os dois tentaram realizar uma fuga pelo telhado, mas foram contidos pelos policiais. Não há informações oficiais se este seria o primeiro crime de Jeferson ou se ele estava drogado no momento do assassinato. Por se tratar de um crime hediondo, os acusados devem responder ao processo presos.