Na tarde e noite desse último domingo (3), no centro de São Paulo, aconteceu a Parada do Orgulho LGBT. Essa foi a 22ª Parada do Orgulho LGBT que acontece em São Paulo. O movimento é considerado o maior do mundo e dessa vez reuniu cerca de 3 milhões de pessoas, de acordo com a organização do evento.

“Poder para LGBT + Nosso Voto, Nossa Voz”, foi o tema escolhido para essa Parada Gay, que mostra a intenção da edição desse ano de trazer o público participante para pensar e refletir sobre a situação política atual dos LGBTs no cenário político brasileiro. A caminhada desse ano contou com a presença de Mônica Tereza Benício, viúva da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada a tiros no Rio de Janeiro.

Mônica, em um trio, recordou a atuação da mulher favelada, negra e lésbica que foi a sua esposa e, como ela (Marielle), lutou pelas causas LGBT e das mulheres negras que são discriminadas muitas vezes na sociedade brasileira, e lembrou que esse episódio - da morte de sua esposa - serve como apoio na luta por mais direitos às mulheres, aos gays e às pessoas faveladas de todo o Brasil. [VIDEO]

Além dela, Gilberto Natalini (PV), que é vereador paulista, Orlando Silva (PCdoB), deputado federal e Bruno Covas (PSDB), prefeito de São Paulo, também marcaram presença.

Com um detalhe para esse último: Bruno foi vaiado pela multidão. [VIDEO]

Parada Gay de São Paulo é a maior do mundo

Apesar dos dados da organização do evento, que os expôs em sua rede social, o Twitter, em 2012, houve uma divergência de estimativas: enquanto os organizadores do evento estimaram 1,5 milhões de pessoas, o Datafolha aferiu cerca de 270 mil presentes. O instituto ainda explicou que a lotação completa do trecho da Paulista-Consolação é de cerca de 1,5 milhões de pessoas – quando calculadas 7 pessoas por metro quadrado, que é quase a mesma situação enfrentada no metrô durante o horário de pico. [VIDEO]

Os trios elétricos foram puxados por cantores e cantoras, principalmente gays e participantes dos movimentos LGBT, a exemplo da artista Pabllo Vittar, que ousou em uma roupa bastante sensual e apareceu cantando os seus maiores sucesso para a grande multidão que acompanhava o evento nas ruas de São Paulo, até o início da noite.

A polícia militar relatou que houveram furtos de celulares durante a Parada do Orgulho LGBT, que terminou por volta das 19h, na Consolação. Mesmo com o final da caminhada, a via ficou quase que completamente ocupada pelas pessoas que acompanharam o evento. Há informações que dois homens foram surpreendidos por um grupo de travestis criminosos e foram assaltados.