Na tarde e noite desse último domingo (3), no centro de São Paulo, aconteceu a Parada do Orgulho LGBT. Essa foi a 22ª Parada do Orgulho LGBT que acontece em São Paulo. O movimento é considerado o maior do mundo e dessa vez reuniu cerca de 3 milhões de pessoas, de acordo com a organização do evento.

“Poder para LGBT + Nosso Voto, Nossa Voz”, foi o tema escolhido para essa Parada Gay, que mostra a intenção da edição desse ano de trazer o público participante para pensar e refletir sobre a situação política atual dos LGBTs no cenário político brasileiro.

Publicidade
Publicidade

A caminhada desse ano contou com a presença de Mônica Tereza Benício, viúva da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada a tiros no Rio de Janeiro.

Mônica, em um trio, recordou a atuação da mulher favelada, negra e lésbica que foi a sua esposa e, como ela (Marielle), lutou pelas causas LGBT e das mulheres negras que são discriminadas muitas vezes na sociedade brasileira, e lembrou que esse episódio - da morte de sua esposa - serve como apoio na luta por mais direitos às mulheres, aos gays e às pessoas faveladas de todo o Brasil.

Além dela, Gilberto Natalini (PV), que é vereador paulista, Orlando Silva (PCdoB), deputado federal e Bruno Covas (PSDB), prefeito de São Paulo, também marcaram presença.

Publicidade

Com um detalhe para esse último: Bruno foi vaiado pela multidão.

Parada Gay de São Paulo é a maior do mundo

Apesar dos dados da organização do evento, que os expôs em sua rede social, o Twitter, em 2012, houve uma divergência de estimativas: enquanto os organizadores do evento estimaram 1,5 milhões de pessoas, o Datafolha aferiu cerca de 270 mil presentes.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Relacionamento

O instituto ainda explicou que a lotação completa do trecho da Paulista-Consolação é de cerca de 1,5 milhões de pessoas – quando calculadas 7 pessoas por metro quadrado, que é quase a mesma situação enfrentada no metrô durante o horário de pico.

Os trios elétricos foram puxados por cantores e cantoras, principalmente gays e participantes dos movimentos LGBT, a exemplo da artista Pabllo Vittar, que ousou em uma roupa bastante sensual e apareceu cantando os seus maiores sucesso para a grande multidão que acompanhava o evento nas ruas de São Paulo, até o início da noite.

A polícia militar relatou que houveram furtos de celulares durante a Parada do Orgulho LGBT, que terminou por volta das 19h, na Consolação. Mesmo com o final da caminhada, a via ficou quase que completamente ocupada pelas pessoas que acompanharam o evento. Há informações que dois homens foram surpreendidos por um grupo de travestis criminosos e foram assaltados.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo