Um dos grandes sucessos [VIDEO] da então faixa intitulada “novela das oito” da Rede Globo, nos anos 90, a novela “A Indomada” está de volta nesta segunda-feira (30), quando passará a ser reprisada na faixa das 13h30 e 23h30 do canal por TV a cabo Viva.

A trama, escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, foi exibida pela primeira vez entre fevereiro e outubro de 1997 e contava em seu elenco com grandes nomes [VIDEO], como Adriana Esteves, José Mayer, Eva Vilma, Renata Sorrah, Seltom Mello, Flávia Alessandra, Ary Fontoura, dentre outros. Foi mais uma das Novelas com realismo fantástico, escara por Aguinaldo Silva e ambientada no nordeste, assim como foi em “Tieta” e “Pedra Sobre Pedra”.

Relembre algumas curiosidades marcantes do folhetim

Mistura de idiomas dos personagens

Nas tramas ambientadas no nordeste é comum os personagens usarem o sotaque local. Agora misturar o sotaque com expressões em inglês foi uma das características marcantes da trama. Frases como “Uóti?”, “Istópi!” e “Óxente, mai Gódi!”, rapidamente se tornaram populares pelo Brasil.

Realismo fantástico

O realismo fantástico da obra ficou por conta de algumas situações, como a do Delegado Motinha (José de Abreu), que foi parar no Japão após cair em um buraco, da vilã Altiva (Eva Vilma), que no final da história virou fumaça, e de Emanuel (Selton Mello), que se transformou em um anjo.

Cadeirudo

Na novela “Tieta”, Aguinaldo Silva criou a “Mulher de Branco”, estranha figura que saií a noite para acatar os homens de Santana do Agreste.

Em “A Indomada”, o autor criou a versão masculina dessa figura, chamada de Cadeirudo e que atacava as mulheres da cidade durante a noite.

Crossover de novelas

Algo comum nas séries americanas, o crossover, quando um personagem de um filme ou de uma novela aparece em outra história, “A Indomada” contou com a participação de Murilo Pontes (Lima Duarte), um dos protagonistas de “Pedra Sobre Pedra”, que havia ido até Greenville para uma partida de poker.

Maria Fernanda Cândido na abertura

Antes de aparecer nas primeiras novelas globais, a atriz Maria Fernanda Cândido era a moça que aparecia correndo na abertura e à medida que os obstáculos iam aparecendo no caminho, seu corpo se transformava em elementos da natureza para superá-los.

Duas trilhas sonoras nacionais

É comum nas novelas globais o lançamento de dois discos com trilhas sonoras de novelas, um nacional e outro internacional. Porém a trama ganhou duas versões nacionais. Destaque para o hit “Unicamente”, da cantora Deborah Blando.