Depois de dar vida à Mãe Simone de Oxum, a atriz Dani Ornellas sentiu na vida real o preconceito de que seu personagem foi alvo em “Malhação Vidas Brasileiras”. Nesta terça-feira (17), ela se dirigiu até a 7ª Delegacia de Polícia Civil de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, para prestar queixa contra [VIDEO] uma vizinha, a qual acusa de injúria racial e intolerância religiosa.

Fazendo uso de uma rede social, a atriz publicou um vídeo, onde revelou o ocorrido. Ela disse ainda que não é a primeira vez que sofre as ofensas, mas que dessa vez chegou a um limite e que, por isso, decidiu encerrar seu silêncio diante da atitude da agressora.

“Não foi a primeira vez. Mas hoje eu disse que bastava”, disse.

Ricardo Brajterman, advogado da atriz, relatou que as agressões ocorreram entre 14 e 15 horas, quando ela estava em casa ouvindo música com tambores de matriz africana. Ele relata que a vizinha começou a gritar que não queria ouvir aquele tipo música, a qual classificou como sendo de macumba e de “preto”. A atriz, que ficou bastante abalada com as ofensas, estava junco com sua filha de sete anos, que começou a chorar.

Após o ocorrido, a atriz procurou ajuda de amigos que indicaram Brajterman que, por sua vez, chamou advogado Rodrigo Mondego para também cuidar do caso e acompanhá-los até a delegacia, onde chegaram por volta das 18 horas.

Os recentes ataques que sofreu fizeram a atriz tomar uma atitude que será fundamental no processo.

Já sabendo do histórico da vizinha, Dani, dessa vez, teve a perspicácia de gravar as ofensas e o áudio será usado como prova.

Ainda em seu vídeo divulgado na rede social, Dani diz que foi muito bem recebida na delegacia, mas chama a atenção pelo fato de que isso pode ter ocorrido por ela ser atriz e conhecida do público, além de estar acompanhada por dois homens brancos. “É importante registrar isso porque se eu chegasse aqui sozinha, meu atendimento seria diferente”, avaliou.

A vizinha acusada será chamada a depor na delegacia e após isso o Ministério Publico dará rumo ao caso, decidindo se abrirá ou não processo criminal. De acordo com o Código Penal Brasileiro, a pessoa que comete injúria racial [VIDEO]pode pegar de um a três anos de cadeia, além do pagamento de multa.

Entende-se como injúria racial o ato de ofender a honra de alguém, valendo-se de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem. Já intolerância religiosa se caracteriza pela falta de vontade ou habilidade em reconhecer e respeitar diferenças ou crenças religiosas de terceiros.