A polêmica em que se envolveu com Júlio Cocielo [VIDEO] ainda segue rendendo dor de cabeça para Bruno Gagliasso. Depois de pedir que as marcas boicotassem o youtuber, por conta de um comentário considerado preconceituoso contra o jogador Mbappé da Seleção da França, o ator global viu o feitiço virar contra o feiticeiro e após ter antigas postagens suas, com conteúdo semelhante, resgatadas, foi alvo de criticas tão pesadas quanto às disparadas contra o Júlio. E isso pode ter consequências em seu próximo trabalho na Rede Globo: a nova “O Sétimo Guardião”, da qual será um dos protagonistas.

Nos últimos dias, informações que corriam nos bastidores da emissora carioca davam conta que a direção estava analisando toda a repercussão negativa e o desgaste da imagem do artista e quanto isso poderia impactar em seu principal produto, como queda de audiência – devido a uma possível rejeição ao ator, que terá um dos papéis principais -, e, consequentemente, na verba publicitária.

Na ocasião, o Banco Itaú, uma das maiores instituições financeiras do país e também um dos grandes anunciantes da emissora, chegou a se manifestar publicamente, repudiando qualquer tipo de discriminação. Fazendo referência às postagens homofóbicas feitas por Bruno no passado, a empresa afirmou que espera que o respeito à diversidade sempre prevaleça. A nota disse ainda que o ator não faz mais parte de suas campanhas publicitárias.

A reportagem do site “Na Telinha”, especializado em Televisão, entrou em contato com a Rede Globo, que negou qualquer possibilidade do ator ser retirado da trama, cujas gravações já começaram, mas Bruno deverá iniciar seus trabalhos – se ficar – no final deste mês.

Na trama escrita por Aguinaldo Silva e prevista para estrear na segunda semana de novembro, Bruno viverá o personagem Gabriel, filho da vilã Valentina Marsala (Lília Cabral) e que fará par romântico com a sensitiva Luz da Lua (personagem que será interpretada por Marina Ruy Barbosa [VIDEO]).

Sua primeira aparição na trama será em uma cena gravada na Avenida Paulista, em São Paulo, quando ele irá se deparar Leon, o gato guardião.

A polêmica

No jogo entre França e Argentina, válido pelas quartas de final da Copa do Mundo, disputado em 30 de junho, o youtuber Júlio Cocielo, ao se referir a velocidade do jogador Mbappé, escreveu que ele poderia “fazer um arrastão top na praia”. O infeliz comentário foi considerado de cunho racista e nos dias seguintes o rapaz recebeu duras críticas, além de ter antigas postagens, também de cunho racista, resgatada por internautas.

Umas das pessoas que engrossou a lista de críticos foi justamente Bruno Gagliasso, que chegou a dizer que era preciso “vigiar e constranger” esse tipo de gente. Porém o global só não contava que ele também estava sendo vigiado e acabou constrangido por conta postagens antigas suas, sendo tão criticado quanto o youtuber.