2

Nego do Borel lançou o clipe da música "Me Solta" na noite da última segunda-feira (9), gerando polêmica e dividindo as opiniões do público LGBTQI+. De um lado, pessoas que acreditam que essa atitude é válida para bater de frente com a sociedade. Na outra extremidade, pessoas que defendem que ele está se apoiando em uma luta séria, fazendo humor e tentando ganhar o chamado "pink money". Para esse segundo grupo, o estereótipo da personagem criada pelo artista não é nada positivo e muito menos representativo.

A Nega da Borelli (sua personagem) é, segundo palavras do próprio cantor, uma personagem antiga que ele trouxe para a gravação do clipe.

Uma personagem que ele criou para brincar em casa com sua mãe e que acabou dando certo. O artista acredita que ela representa exatamente quem ele é: uma pessoa livre.

A comunidade LGBTQI+ já vem travando brigas com alguns artistas que se dizem favoráveis ao movimento, mas que, em determinado momento do passado, tiveram alguma atitude considerada negativa. É o caso da cantora Jojo Toddynho [VIDEO], que, ao retrucar uma crítica em sua rede social, chamou o rapaz de "baitola", termo considerado ofensivo.

O momento do clipe que gerou o maior número de comentários foi o beijo no modelo Jonathan Dobal. A ideia do beijo partiu do próprio cantor, que, além de soltar a voz, dançar e atuar, assina o roteiro do clipe. A direção ficou por conta de Lucas Romor, do KondZilla.

Gravação no Morro do Borel

A gravação do clipe aconteceu em junho, no Morro do Borel - Zona Norte do Rio de Janeiro -, onde o artista nasceu e cresceu.

Nego do Borel ainda fez questão de contratar mão de obra local para trabalhar na figuração. Também contratou moradores da comunidade como dançarinos, pessoal para os serviços de alimentação e para transportar sua equipe. Tal qual a colega Anitta, Nego do Borel fez questão de trazer para o clipe a realidade da comunidade e a diversidade das pessoas que por lá residem, de acordo com o seu ponto de vista. Mas até mesmo esse posicionamento não é visto com bons olhos por parte das pessoas.

O jovem cantor garante que não teve intenção alguma de ofender, mas entre ele afirmar e a comunidade LGBTQI+ acreditar, existe um grande passo. Mas, independente das opiniões divididas, o clipe pode ser visualizado na internet. Para o público LGBTQI+, a luta pelos seus ideais continua. A ideia é demonstrar, através de atitudes próprias, que o respeito é bom para todos e que toda forma de amor é válida.