Corriqueiramente, autores das Novelas inserem em suas histórias assassinatos de importantes personagens para dar uma apimentada de mistério na trama, ao melhor estilo “quem matou”. São dezenas de exemplos na teledramaturgia brasileira, e um mestre em fazer isso é João Emanuel Carneiro. Ele mais uma vez recorrerá a esse expediente para dar novos rumos à “Segundo Sol” [VIDEO], atualmente ocupando a faixa das 21 horas na Rede Globo.

Essa guinada na trama, que começou a todo o vapor, mas que nas últimas semanas – período que tem coincidido com a Copa do Mundo - deu uma estagnada, acontecerá por volta do capítulo 100, quando Remy (Vladimir Brichta) será misteriosamente assassinado. Vários personagens serão suspeitos [VIDEO].

Segundo informações da colunista Patrícia Kogut, o vilão da trama marcará um encontro com Luzia (Giovanna Antonelli) em um hotel, onde acabará sendo morto de forma brutal por uma pessoa desconhecida. Antes, no entanto, ele acabará dopando a loira a pedido de Laureta (Adriana Estevez). Por estar dormindo, Luzia não verá quem foi o algoz do irmão de Beto Falcão e a culpa inicialmente deverá cair sobre ela, que ao despertar verá o corpo do vilão e será presa, tendo agora dois assassinatos em sua ficha criminal, já que na primeira fase da trama ela foi acusada de matar o ex-marido, Edilei (Paulo Borges).

Laureta, Karola (Deborah Secco), que era sua amante, e o irmão de Remy, Ionan (Armando Babaioff), são alguns dos quem podem ter cometido o crime, uma vez que a história levantará possíveis razões para que qualquer um deles possa ter algum tipo de motivação para dar cabo à vida do malandro.

Por exemplo, Ionan viu sua traição ser descoberta pelo irmão mais novo.

Expediente recorrente

Só para lembrar alguns desses casos do “quem matou” presentes nas tramas, Odete Roitman (Beatriz Segall), em “Vale Tudo”, escrita por Gilberto Braga e exibida entre 1988 e 1989, talvez seja o mais conhecido. Já em “A Próxima Vítima”, Silvio de Abreu abusou do mistério desde o primeiro capítulo e o desfecho só foi gravado horas antes da novela ir ao ar.

Na novela “Celebridade”, que até o mês passado estava sendo reprisada no Vale a Pena Ver de Novo, foi a vez de Lineu (Hugo Carvana) ser morto de forma misteriosa, e seu assassino só ser conhecido no final. O próprio João Emanuel Carneiro usou desses ganhos em suas obras recentes, como em “Avenida Brasil”, que teve o assassinato de Max (Marcello Novaes). Também o milionário Gibson Stewart (José de Abreu), em a “Regra do Jogo”.