Intérprete de Seu Madruga, um dos personagens mais carismáticos do seriado Chaves, exibido no SBT [VIDEO], por muitas vezes dividindo os holofotes com o próprio protagonista, Ramón Antonio Estebán Gómez de Valdés y Castillo, ou simplesmente Ramón Valdés, morria no dia 8 de agosto de 1988, na Cidade do México, aos 64 anos de idade, vitimado por um câncer. Ele foi casado três vezes e teve dez filhos.

Oriundo de uma família de artistas, [VIDEO] Ramon nasceu em 2 de setembro de 1923 e era irmão de Germán Valdés, como "Tin Tan" e que fez grande sucesso na época de ouro do cinema mexicano. Os irmãos Manuel "El Loco" e Antonio "The Mouse" também seguiram seus passos.

Apesar de ser conhecido por suas atuações nos programas escritos e protagonizados por Roberto Gomes Bolaños, Ramon atuou em mais de 50 filmes.

No começo dos anos 80 ele descobriu que tinha um tumor maligno no estômago. Fumante ativo, ele também tinha câncer no pulmão, mas se recusou a largar o cigarro. Em entrevista, o ator Edgar Vivar, intérprete do Senhor Barriga, revelou que em uma de suas visitas ao hospital, Ramón havia dito: “Não lhe poderei pagar mais o aluguel”. Após mais de dois meses internado no Hospital Santa Lena, faleceu aos 64 anos de idade e sua morte causou grande comoção [VIDEO] em todo o México.

O personagem

Seu Madruga apareceu logo no primeiro episódio do Chaves, que antes de ganhar programa próprio era apenas um quadro de poucos minutos do programa “Chespirito”. Ele era o único personagem que não precisava de caracterização, muitas vezes o ator vinha de casa já usando a roupa que iria gravar.

Bordões, tais como “só não te dou outra porque” e “que que foi, que que foi, que que há?” foram criados por ele mesmo.

Antes do Chaves, Valdés já havia trabalhado com Bolaños em uma atração anterior, chamada de a “Los supergenios de la mesa cuadrada”, ao lado de da atriz María Antonieta de las Nieves e Rubén Aguirre. Ele também era aparição constante no Chapolim Colorado, por várias vezes interpretando vilões, como o Pirata Alma Negra, Tripa Seca, dentre outros.

Ficou na atração até 1979 e saiu após Florinda Meza se tornar produtora executiva. Ele ainda teve um rápido retorno dois anos depois, em 1981, onde voltou a gravar quadros para o “Chespirito”, até sair de forma definitiva do programa no fim daquele mesmo ano.

Em 1982, passou a trabalhar com Carlos Villagrán, na Venezuela. Ele também cuidada de seu próprio circo, que percorria o México. Seu último trabalho foi em 1987, quando gravou um comercial de um famoso doce no Peru.