O personagem Agenor (Roberto Bonfim), conhecido por ser um homem machista e abusivo, vai passar por uma grande transformação na novela Segundo Sol. Tudo começa após sua esposa, Nice (Kelzy Ecard), ser admitida no restaurante de Cacau (Fabíula Nascimento). Com inveja do sucesso da esposa, ele decide sabotá-la. Para que a mulher seja demitida, Agenor coloca pimenta na comida preparada por ela, fazendo com que a mesma fique com a reputação manchada no local.

Mas as armações do garçom não vão durar muito tempo na trama [VIDEO]. Após Nice ganhar uma nova chance de Cacau, ela volta a trabalhar no restaurante, despertando a fúria de Agenor.

Como ele acredita que a mulher não deve trabalhar fora de casa, decide sabotá-la novamente: ele derruba um frasco inteiro de dendê na comida da esposa, mas dessa vez é flagrado por um dos funcionários do restaurante. Ele acaba tendo que enfrentar a fúria de Cacau, que, ao saber da verdade, o chamará para uma conversa.

Ela falará que sempre percebeu as más intenções [VIDEO] do funcionário e questionará o motivo de tantas armações, lembrando que ele já a sabotou outras vezes e tentou impedir que ela a contratasse. Cacau ainda provoca o senhor, falando que ele tem inveja do sucesso de sua esposa, enquanto Agenor tenta colocar a culpa na própria Nice pelo ocorrido. Ele diz que Cacau ainda vai se arrepender por ter contratado Nice, deixando a esposa muito nervosa. Cacau consola Nice e afirma que seu emprego está mantido, já que a verdade foi descoberta.

Por outro lado, ela afirma que Agenor está despedido, já que não quer um funcionário como ele.

Ao chegar em casa, Nice tem medo de uma possível reação agressiva do marido. Mas fica impressionada com o novo discurso do marido, que pede perdão e afirma querer ser um marido melhor. Como previsto, Nice fica desconfiada e questiona o porquê de uma mudança tão repentina. Ele argumenta que não pode viver sem sua família e que sente falta das filhas. Para completar, ele pede para que a esposa converse com Cacau e o ajude a retomar o emprego. Ela, balançada, aceita.

Dúbio arrependimento não é novidade na TV

No entanto, a súbita mudança de personalidade de Agenor não é a primeira na Televisão. Vale lembrar que o recurso do dúbio arrependimento já foi usado por outros autores em Novelas. O próprio João Emanuel Carneiro, autor de Segundo Sol, usou a estratégia em A Favorita (2008) com a personagem Flora. Na ocasião, a maior parte do público acreditava que a ex-presidiária era a mocinha da trama, mas o autor contrariou a audiência ao revelar que Flora era uma assassina.