Se calou na noite do último sábado de setembro (29) a voz única da veterana cantora brasileira Ângela Maria, que morreu aos 89 anos de idade, depois de ter permanecido internada por 34 dias em um hospital da Zona Sul de São Paulo.

A causa do óbito de uma das maiores Celebridades da música do Brasil não foi revelada até o presente momento; acontecendo neste momento, desde às 10h da manhã, o velório da cantora no Cemitério Congonhas, também situado na região Sul da capital paulistana.

Ângela Maria entre os anos de 1950 a 1960 se consagrou como uma das cantoras de maior destaque no país, e completou 70 anos de carreira musical.

Anúncio oficial do falecimento da cantora

A perda da famosa levou o seu empresário Thiago Marques Luiz a postar na sua rede social do Facebook, uma foto dele com Ângela, onde informou sobre a morte da “maior cantora do Brasil, a nossa Rainha Ângela Maria”, afirmando que não existe e não existirá nenhuma outra cantora brasileira com histórico semelhante ao dela.

Daniel D'Angelo, com quem Ângela tinha uma união estável, publicou um vídeo no site oficial da mesma revelando que no tempo em que ela permaneceu internada, Maria sofreu muito fisicamente.

Em junho deste ano, foi apresentado o musical “Ângela Maria – Lady Crooner” no Teatro Carlos Gomes, como uma forma de homenagear os 70 anos de carreira da cantora de Fama. A peça teatral abordou a trajetória pessoal e também profissional daquela que foi batizada de a “Rainha do Rádio”, uma verdadeira estrela da denominada era de ouro da outrora Rádio Nacional.

Síntese biográfica de Ângela Maria

A cantora nasceu na cidade norte-fluminense de Macaé em 1929, sendo que, mal sabia ela, que se tornaria dona de uma das vozes mais carismáticas em todo o país.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Famosos

O seu nome de batismo era Abelim Maria da Cunha, tendo passado a infância em cidades como São Gonçalo, Niterói e São João de Meriti (região metropolitana do Rio de Janeiro).

O pai de Ângela era pastor da Igreja Batista e ela entoava cânticos nos corais de igrejas desde tenra idade, mas também trabalhou como tecelã e inspetora de lâmpadas em um complexo fabril da General Eletric.

Ângela teve que entrar em conflito com a sua família para poder ser cantora, que não queria que ela ingressasse no meio artístico, tendo gravado o seu 1º disco aos 23 anos.

Em 1948 Maria cantou na casa de shows Dancing Avenida, onde na ocasião foi descoberta por Erasmo Silva e Jaime Moreira Filho, compositores que a apresentaram a Gilberto Martins, que era o diretor da Rádio Mayrink Veiga.

No ano de 1951, a moça gravou os sambas “Quando alguém vai embora” e “Sou feliz”. No ano seguinte, a sua canção “Não tenho você” acabou se tornando o seu 1º grande sucesso.

Ângela Maria foi rainha absoluta durante os anos 50, nas rádios Mayrink Veiga e Nacional, tendo participado do filme “Rua sem Sol” em 1954.

Sapoti ou a Rainha do Rádio como era chamada Ângela, neste ano completou 70 anos de carreira, período em que lançou mais de 114 discos, superando os 60 milhões de trabalhos comercializados.

Ângela começou pequena no coral da Igreja Batista, onde seu pai foi pastor, todavia ganhou o Brasil e o mundo com sucessos, tais como: “Babalu”, “Gente humilde”, “Lábios de mel", “Falhaste coração” e “Tango para Tereza”. Descanse em paz, Ângela Maria, e continue vivendo nas mentes dos seus milhões de fãs e admiradores!

Ângela Maria canta Babalu

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo