O mundo da música está de luto desde o último sábado (15), quando foi noticiada a morte de Franco Scornavacca, pai de Kiko, Leandro e Bruno, que formam o trio KLB. Empresário, músico e instrumentista, Franco morreu aos 70 anos.

Os filhos estavam em Curitiba quando souberam da morte do pai, que estava em São Paulo. O show que fariam na capital paranaense foi cancelado pelos organizadores e os músicos voltaram para a capital paulista.

No dia da morte, não foi divulgada qual teria sido a causa. Franco estava internado havia 40 dias por ter problemas crônicos de saúde.

Publicidade

Segundo informações do portal UOL, Kiko afirmou que o pai fazia diálise e tinha problemas nos rins, além de diabetes.

Segundo o mais velho dos três irmãos, o pai morreu da forma como queria, tranquilamente. Ainda segundo o UOL, Kiko teria dito a amigos que foi como se o pai tivesse sido desligado da tomada.

O velório de Franco aconteceu na Assembleia Legislativa de São Paulo até às 11h do domingo. Logo depois, o cortejo fúnebre seguiu para o Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, onde a cremação aconteceu às 14h.

Nas redes sociais, Kiko e Bruno se despediram do pai. Os dois se referiram a Franco Scornavacca como “herói”. Franco foi o grande responsável pelo lançamento do trio KLB no ano 2000.

Ele empresariava a carreira dos filhos, que esse ano comemoram 18 anos juntos como KLB. Além dos filhos, Franco foi empresário de nomes como Leandro e Leonardo e Zezé di Camargo e Luciano.

Causa da morte

Franco Scornavacca morreu de parada cardíaca. Ele estava bastante debilitado devido a diálise que fazia por conta dos problemas nos rins.

Publicidade

A diálise é realizada para retirar as substâncias tóxicas que ficam nos rins quando eles não funcionam direito.

Este procedimento começa a ser realizado quando os rins apresentam menos do que 10% de suas capacidades de funcionamento. A diálise não trata o problema renal, mas apenas ajuda a eliminar as toxinas que ficam nos órgãos quando eles não estão funcionando corretamente. Era a este tratamento que Franco se submetia devido aos problemas de saúde.

Além dos problemas nos rins, ele tinha problemas também de diabetes, doença crônica caracterizada pela diminuição na produção de insulina, hormônio que é produzido no pâncreas e tem como objetivo levar o açúcar para ser utilizado como energia.

Quando isso não acontece, o paciente diabético acumula o açúcar no sangue.

Diante disso, o empresário de 70 anos não resistiu e o coração parou de bater.