Foi no dia 18 de setembro de 1968, ou seja, há exatos 50 anos, que Alex Lifeson (guitarra), Jeff Jones (baixo e voz) e John Rutsey (bateria) juntaram-se na vizinhança de Willowdale, em Toronto, Canadá, e formaram a banda de rock que viria a receber o nome de Rush. O trio de adolescentes, após semanas de ensaios, se apresentou ao vivo pela primeira vez tocando covers de Cream, Jimi Hendrix entre outros grandes ícones da cena roqueira da época. Porém, depois desta primeira apresentação histórica, Jeff Jones abandona a banda.

Publicidade

Em seu lugar entra o jovem chamado Geddy Lee, que também ficou encarregado dos vocais e do baixo.

O sucesso não chegou logo, pois o primeiro single da banda só foi lançado em 1973, um cover de “Not Fade Away”,de Buddy Holly e que curiosamente os The Rolling Stones gravaram em 1964. Em 1974, sai Rush, o álbum de estreia do trio. Então mais um integrante deixa a banda, desta vez foi Rutsey, que além de sofrer de diabetes não gostava das viagens em turnês, mas acabou saindo de forma amigável.

Em seu lugar, entra o incrível Neil Peart, que ao assumir o comando das baquetas, participa da formação clássica da banda, Pert além de ser um virtuose da bateria, fica encarregado de ser o principal compositor da banda, com suas influências de ficção científica e fantasia, assim, o grupo deixa de ser uma espécie de "novo Led Zeppelin" e começa a longa tradição de bandas de "prog metal".

Em janeiro de 2018, Alex Lifeson declarou que o Rush havia encerrado de forma definitiva suas atividades. Lee, Peart e Lifeson conquistaram fãs por todo o planeta e seus álbuns tornaram-se clássicos e também fizeram shows antológicos por todo o mundo. Mas a banda sempre foi acusada por aqueles que não eram adeptos ao tipo de som que a banda fazia de serem pretensiosos, por conta da habilidade técnica de seus integrantes e também pelas composições musicais altamente elaboradas.

Mesmo com todo a imensa legião de fãs, a banda sempre esteve à margem do mainstream.

Publicidade

Em 2010, graças ao documentário "Rush: Beyond the Lighted Stage", de Sean Dunn e Scot McFadyen, é mostrado um pouco das tragédias pessoais e as glórias da banda em décadas de existência.

A partir deste documentário, os fãs e também o grande público interessado em rock puderam conhecer um pouco da história de uma das grandes bandas de rock de todos os tempos que influenciaram diversas outras bandas, talvez a que mais seja associada ao trio canadense seja Dream Theather.