A veterana apresentadora da Rede Globo,Ana Maria Braga, comandante do programa Mais Você, está enfrentando uma dura batalha na Justiça. Há mais de 20 anos que ela divide seus programas com o personagem Louro José, o papagaio que ficou famoso por suas piadas ao lado da apresentadora.

No entanto, Ana Maria Braga quer ser reconhecida como a dona oficial dos direitos do boneco, mas está enfrentando uma disputa com outros dois artistas que alegam ser os verdadeiros donos de Louro José.

A apresentadora pede R$ 650 mil por danos morais e afirma que foi a responsável pela criação do boneco, que se tornou sucesso absoluto.

Publicidade

Segundo informações da jornalista Keila Jimenez, a apresentadora diz que em 1997 criou o personagem. Louro José teria sido baseado em um papagaio de Ana Maria e que foi confeccionado com base em seus pedidos. O boneco foi criado exclusivamente para acompanhar Ana em seus programas, ele é manipulado por Tom Veiga.

Faturamento de Louro José

Segundo informações do portal TV Foco, os donos do boneco é quem faturam com o licenciamento de produtos do personagem. Ana Maria Braga chegou a entrar com pedido de registro na Escola de Belas Artes, porém os responsáveis pelo boneco alegaram o cancelamento do pedido, causando uma grande batalha judicial.

Os rapazes responsáveis por confeccionar o boneco enfatizam que são os responsáveis pela criação de Louro José. Por outro lado, Ana mantem o boneco durante anos em seu programa e afirma ter sido criado a partir de sua própria inspiração. Resta esperar o resultado da Justiça.

O pedido na Justiça aconteceu por Ana Maria e seu ex-marido Carlos Madrulha. Os outros dois rapazes que hoje obtém o direito sobre o boneco são Antonio Marcos Costa de Lima e Renato Aparecido dos Santos. A relatora do caso é a ministra Nancy Andrighi.

Publicidade

O caso foi movido em 11 de setembro de 2012 e só agora, em 2018, é que irá para julgamento.

Em 2012, a ministra do caso pediu para que Ana Maria Braga completasse as informações, por conta disso seu ex-marido entrou no processo. A defesa de Ana enfatiza que o personagem, além de se basear no papagaio da família, também tem características do filho de Ana Maria Braga.